22°C
Erechim,RS
Previsão completa
Euro R$ 4,58 Dólar R$ 4,03
22°C
Erechim,RS
Previsão completa
Euro R$ 4,58 Dólar R$ 4,03

Publicidade

Região

“Garantimos a obra”

Essa é a avaliação do prefeito em dia histórico para Aratiba e região Alto Uruguai com aprovação pela Câmara de Vereadores de projeto que autoriza o município a fazer empréstimo para pavimentação de 17 quilômetros na ERS 420. Previsão é que a obra fique praticamente pronta ano que vem

O próximo passo é garantir o financiamento e encaminhar o edital para contratação do projeto da obra
Por Ígor Dalla Rosa Müller
Foto Ígor Dalla Rosa Müller

A aprovação do projeto de lei número 19 pelos vereadores de Aratiba, na noite da última quarta-feira (13), representa um marco histórico para o município e o Alto Uruguai. Isso porque autoriza o Poder Executivo a fazer um financiamento para realizar a pavimentação de 17 quilômetros da ERS 420, criando mais uma ligação asfáltica com o estado vizinho de Santa Catarina. 

Essa obra traz impacto direto no desenvolvimento do município e da região, no escoamento da produção, novas oportunidades para a agricultura, indústria e comércio e, principalmente, o turismo regional. 

Projeto número 19

O projeto de lei foi aprovado com o plenário da Câmara de Vereadores de Aratiba lotado e depois de ampla discussão dos representantes públicos. Com a aprovação, o Poder Executivo está autorizado a fazer um financiamento com a Caixa Econômica Federal no valor de R$ 10 milhões, que será destinado à pavimentação da ERS 420 trecho de Aratiba a Volta do Uvá. 
No entanto, o projeto foi aprovado com emenda apresentada pela bancada de oposição. No artigo segundo, os prazos de amortização serão de dez anos com uma carência de doze meses com juros de 5,3 % ao ano, mais a taxa CDI. Conforme o presidente do Legislativo, vereador Marco Machado, "no mínimo 33% do valor da obra (acrescido dos juros e taxa CDI) deverão ser amortizados até o término do mandato do chefe do Poder Executivo, que ocorrerá no ano de 2020". 

 

Avaliação

Segundo o prefeito de Aratiba, Guilherme Granzotto, a obra está prevista para ser realizada em 2020, e com a aprovação do projeto pelos vereadores, o município garante grande parte do valor do empreendimento, que vai beneficiar toda a região, e vai custar em torno de R$ 15 milhões. 
Tendo em vista esse entendimento do seu impacto regional, agora, segundo Granzotto, a ideia é tentar buscar recursos de emendas de deputados federais para fechar os valores que faltam e ainda reduzir os custos para Aratiba, fazer com que o município gaste o menos possível. "Tenho conseguido por volta de R$ 1 milhão de emendas todo o ano, não vejo dificuldade de dobrar isso para fechar a conta", diz. 
Conforme o prefeito, se o município não conseguir as emendas o objetivo é terminar a obra do mesmo jeito. "Mas a gente sente que a região teria que colaborar também, já que muitos municípios serão beneficiados", afirma.

 

A obra

A ideia inicial é fazer a pavimentação com paver, mas o asfalto normal não está descartado. Isso porque o paver tem um custo menor e dura mais que o asfalto, ele já é usado muito nos EUA e na Europa e comporta tráfego pesado, e só não é recomendado para grandes distâncias porque é desconfortável, mas é muito bom para trechos pequenos tendo durabilidade de até 50 anos. "Seria uma rota ecológica que fomentaria o turismo e traria algo a mais para toda a região", diz. 
Além disso, observa Granzotto, esse investimento vai consolidar uma rodovia interestadual e será uma importante solução em logística para a região, beneficiando principalmente o município de Erechim. Do mesmo modo, pode ser um canal de exportação para o Porto de Rio Grande, sem contar toda repercussão também no turismo. "Essa é a menor distância do RS para o Paraná e integraria um grande mercado que envolve as cidades de Itá, Xaxim, Xanxerê, Seara, Ipumirim Xavantina, Arabutã e São Lourenco do Oeste", comenta. 

 

Próximo passo

Segundo o prefeito, a próxima ação é garantir o financiamento e encaminhar o edital para contratação do projeto da obra. "Já tem um projeto, vamos ver se tem como atualizar ou se tem que fazer um novo", diz.
Granzotto comentou que após isso, terá uma viagem à Brasília, onde quer conversar com os deputados federais. "Vamos com os vereadores também da oposição para que juntos com os seus deputados se possa garantir essas verbas de emendas para o ano que vem", diz.
O chefe do Executivo enfatiza que a obra vai diminuir o preço da logística e será um atalho para interligar regiões muitos ricas. Ele acredita que até o fim do ano que vem, se não estiver pronta, deve ficar 90% concluída.

 

Leia também

Publicidade

Blog dos Colunistas