14°C
Erechim,RS
Previsão completa
0°C
Erechim,RS
Previsão completa

Publicidade

Região

Produção de morangos ganha espaço

Sistema semi-hidropônico em bancadas diminui em 80% problemas fitossanitários

teste
Foram construídas estufas com 3.500 mudas em cada
Por Redação
Foto Divulgação

O cultivo do morangueiro em semi-hidroponia, também chamado cultivo em substrato, vem apresentando crescente adoção, em especial na Serra Gaúcha e no Vale do Caí, sendo estas regiões importantes na produção de morangos para mesa no Rio Grande do Sul. Porém este sistema de cultivo está sendo adotado no município de Aratiba nas propriedades de Castilo e Neusa Beviláqua, em Sede Dourado, na propriedade de Miguel e Maria Trentin na Linha Gruta e de Marcelo Bugs, Linha Sarandi. Através da assessoria da Emater/Aratiba que vem repassando as bases tecnológicas aos agricultores e também com o apoio da Secretaria da Agricultura do município.

A motivação para adoção deste sistema são os diversos problemas fitossanitários enfrentados pelo cultivo no solo e que no sistema semi-hidropônico em bancadas diminui 80%. A ergonomia que pode ser proporcionada pelo sistema de cultivo em bancada, oferecendo maior bem estar ao trabalhador durante a realização dos tratos culturais bem como na colheita, também tem sido um forte motivador para adoção do sistema. Outra vantagem refere-se à adubação, sendo totalmente controlada pelo agricultor, aplicando no momento certo bem como a quantidade necessária às plantas.

Nas propriedades acompanhadas pela Emater/Aratiba, foram construídas estufas tipo “guarda-chuva”, onde estão plantadas em torno de 3.500 mudas em cada estufa. As variedades plantadas são a Albion e San Andreas, consideradas plantas de dias neutros, ou seja, produzem o ano todo. As plantas devem ser substituídas a cada dois anos dependendo do estado fitossanitário, porém o substrato poderá ser utilizado até quatro anos dependendo da conservação do material plástico dos Slebs (sacolas).

“A estimativa de colheita gira em média de 600 g/planta/ano, dando um total de 2.100 kg por estufa de morango anualmente. Inicialmente a comercialização está sendo realizada no comercio local. A atividade proporcionará incremento na renda das famílias, melhorando a qualidade de vida das mesmas”, afirma o agrônomo Gilmar Schardong.

 

 

Leia também

Publicidade

Blog dos Colunistas