25°C
Erechim,RS
Previsão completa
0°C
Erechim,RS
Previsão completa

Região

Itatiba do Sul: comunidade consciente, crítica e atuante

Proposta de alunas da Escola Estadual de Ensino Médio Professora Fernandina Rigoti vai se tornar lei municipal

teste
Divulgação
Por Da Redação [email protected]
Foto Divulgação

A Escola Estadual de Ensino Médio Professora Fernandina Rigoti, de Itatiba do Sul, a partir de um trabalho sobre a mulher na sociedade, realizado nas disciplinas de Sociologia e Filosofia do 2° ano (turma 120) do Ensino Médio, orientados pela professora, Eliane De Ré, abordaram o tema pobreza menstrual.

Tabus

A atividade escolar analisou os tabus que envolvem a questão e o preconceito que mulheres e meninas ainda sofrem na atualidade, tendo em vista que segundo dados da ONU, no Brasil, uma em cada 4 adolescentes   não tem acesso a absorventes durante o período menstrual e quase 30% das mulheres jovens já faltaram a escola em função da falta de itens de higiene menstrual.

Proposta

Desta forma, a atividade refletiu na construção de uma proposta denominada “Ninguém solta a mão de ninguém”, que disponibiliza absorventes higiênicos nos banheiros da escola, financiados pelas alunas Ana Caroline dos Santos, Andressa Czikor, Anna Paula Fiabani, Kauana Bertuzzi e Débora Lago, autoras do projeto.

Poder Legislativo

A relevância do tema fez com que as alunas levassem a proposta para o Poder Legislativo Municipal, convidando as vereadoras, Paulina Dias e Rafaela Bald, a se engajarem na iniciativa, tornando uma política pública municipal a disponibilização de absorventes nos banheiros e repartições públicas do Município. Esta ação tem por objetivo se juntar aos projetos espalhados pelo mundo, implementados por organizações não governamentais e liderados por mulheres, que têm por objetivo financiar ou encontrar alternativas para viabilizar o acesso a produtos de higiene no período menstrual para meninas e mulheres atingidas por esse tipo de vulnerabilidade.

Lei municipal

Desta forma, a partir da audiência com as vereadoras, sob a orientação da professora, Adriana Kátia Tozzo, o tema foi discutido, originando uma proposta de Lei Municipal, que contempla a distribuição de absorventes a mulheres e meninas em situação de vulnerabilidade, disponibilização de absorventes em banheiros das repartições públicas municipais e estaduais, campanhas solidárias de arrecadação de itens de higiene menstrual e atividades educativas sobre o tema.

Política pública

A partir da compreensão das vereadoras, da necessidade e da importância de tornar uma proposta pontual da escola em uma política pública municipal, as vereadoras e alunas, apresentaram no dia 30 de novembro, na prefeitura, a demanda ao prefeito, Valdemar Cibulski, ao vice-prefeito, Celio Fiabani, e a assessoria jurídica do município. A proposta foi acolhida pelo Executivo Municipal e será encaminhada ao Poder Legislativo para análise.

Diretor

De acordo com o diretor da escola, professor, Dejan Schäfer, acompanhar uma atividade pontual da escola, que consiste em uma ação de saúde pública com reflexos diretos nas atividades escolares de meninas e mulheres, tornar-se um projeto de lei municipal, reflete a proposta pedagógica da instituição de formar cidadãos críticos, com capacidade de problematizar, despertando a inquietação dos alunos e levando-os a ação.

Alunas

De acordo com as alunas, é muito gratificante ver que a proposta construída nas aulas de Sociologia e Filosofia irá auxiliar na construção de uma política pública municipal, ajudando meninas e mulheres e enfrentando tabus enraizados na sociedade.

Publicidade

Blog dos Colunistas