14°C
Erechim,RS
Previsão completa
0°C
Erechim,RS
Previsão completa

Publicidade

Região

Centenário: “Temos que ter respeito com todos os prefeitos e vereadores que passaram no município”

Afirma, em nota, Câmara de Vereadores sobre abatedouro municipal

teste
Arquivo
Por Da redação
Foto Divulgação

O único abatedor existente no município de Centenário é o da Associação dos Produtores do Abatedouro do Município de Centenário (Apacen), afirma a Câmara de Vereadores de Centenário.

Segundo a Câmara, em janeiro de 2020, na administração passada, do ex-prefeito, Hilário José Kolassa, o Poder Executivo encaminhou para a Câmara de Vereadores o projeto de Lei nº 06/2020, que autorizava o município a receber em doação da Apacen, o abatedouro de animais localizado na Linha Carlos Serafini.

“Este projeto foi aprovado pela Câmara de Vereadores no dia 30 de janeiro de 2020, e em 31 de janeiro de 2020 transformado na lei municipal nº 1.978/2020, conforme documentos que aparecem na imagem”, disse a Câmara.

A lei municipal que autoriza o recebimento do imóvel (abatedouro, prédio e área) é um dos primeiros passos para a concretização da doação.

A Câmara explica que antes de enviar o projeto de lei é necessário uma assembleia da associação, o que aconteceu ainda em 2019, conforme ata que está arquivada com a associação e uma cópia com o Executivo Municipal.

“A partir daí se deu prosseguimento com os demais passos necessários a concretização da doação do abatedouro ao município, contudo, veio a pandemia, e a partir daí a história é conhecida de todos, cartórios com restrições nos atendimentos, por muitos momentos atuando com experiente interno somente”, afirma.

“Dizer que não se iniciou o procedimento de recebimento em doação do abatedouro da Apacem no mandato passado é como dizer que o projeto de lei do IPTU enviado pelo Executivo Municipal iria dar desconto e não iria aumentar o IPTU, deste ano de 2021, e que em janeiro de 2021, o Executivo não aumentou o valor da tarifa da água”, explica a Câmara.

A Câmara de Vereadores explica que muitas pessoas foram importantes neste processo. “Não é adequado e justo negar o que os outros fizeram. Há uma necessidade incrível de negar o passado, como se tudo que é bom em nosso município só existisse a partir de 1º de janeiro de 2021, e tudo o que não é bom é culpa do que aconteceu até 31 de janeiro de 2020”, afirma.

E, acrescenta, “temos que ter maturidade. Reconhecemos os esforços que estão sendo realizados pela atual administração do município e ficamos felizes que o projeto está tendo andamento, contudo, salientamos que nada disso ocorreu por acaso, houve muito trabalho e dedicação de muitas pessoas. Temos que ter respeito com todos os prefeitos e vereadores que passaram no município, todos tentaram fazer o seu melhor”.

Leia também

Publicidade

Blog dos Colunistas