22°C
Erechim,RS
Previsão completa
Euro R$ 6,39 Dólar R$ 5,39
0°C
Erechim,RS
Previsão completa
Euro R$ 6,39 Dólar R$ 5,39

Publicidade

Região

Deputado Paparico solicita obras urgentes em escola de Carlos Gomes

Instituição de ensino que atende 110 alunos da rede pública estadual foi atingida por temporal no mês de junho

Escola Estadual Carlos Gomes
Deputado Paparico Bacchi
Por Assessoria de Comunicação
Foto Divulgação

O deputado Paparico Bacchi (PL) reivindica obras de recuperação na Escola Estadual Carlos Gomes. A instituição de ensino que integra a rede pública estadual foi atingida pelo ciclone extratropical ocorrido no dia 30 de junho e aguarda a liberação de recursos para execução dos reparos nos dois prédios onde são atendidos 110 alunos dos níveis Fundamental e Médio. O pedido inicial foi encaminhado por meio da Coordenaria Regional de Educação. 

De acordo com o diretor Célio Souza a estrutura do telhado do prédio onde estão instalados os setores administrativos, cozinha, biblioteca e sala de informática, está comprometida. Portas e janelas, assim como calhas e depósitos externos também foram danificados pelo fenômeno climático que afetou o município situado na região do Alto Uruguai e que decretou situação de emergência já homologada pela Estado. O professor alerta ainda que a rede elétrica também foi atingida e que as telhas arrancadas pelo vento foram substituídas emergencialmente por lonas plásticas. 

Paparico Bacchi manteve contato com o secretário estadual José Stédile, titular da pasta de Obras e Habitação, e pleiteou urgência na liberação de recursos e contratação dos serviços. O parlamentar argumenta que é preciso reconstruir o patrimônio danificado pelo efeito climático, proteger os bens materiais da escola e devolver as condições de trabalho para professores e equipes administrativas que trabalham em regime especial no período de pandemia. 

 

Leia também

  • Jacutinga: ave dá nome ao município

    Moradores e tropeiros que por ali passavam deram esse nome ao pequeno vilarejo

  • Itatiba do Sul: terra das pedras

    Ao chegar ao local onde hoje é Itatiba do Sul, o imigrante se deparava com a floresta virgem. Como havia muita madeira de lei, o corte das árvores mostrava-se lucrativo, seja para abrir os espaços para a construção dos “ranchos”, preparar o solo, limpar o chão para o plantio

  • Ipiranga do Sul: município construído por muitas mãos

    A formação de Ipiranga do Sul começou na propriedade da família Rigo, que, apesar de não morar lá, possuía um agregado, chamado Jacó Postal, que, junto aos seus familiares, cuidava de terra e trabalhava na lida do gado

Publicidade

Publicidade

Blog dos Colunistas