25°C
Erechim,RS
Previsão completa
0°C
Erechim,RS
Previsão completa

Bairros

Bairros: Inúmeros pedidos, protocolos e nada

Moradores relatam péssimas condições das estradas de Erechim e a falta de atenção e solução do poder público local

teste
Acesso loteamento Dona Sandra
Parque Lívia
Mensagem para o prefeito
Por Ígor Dalla Rosa Müller
Foto Divulgação

Indignação, desânimo, insegurança e rejeição. Esses são os sentimentos de moradores de bairros de Erechim, que procuraram o Jornal Bom Dia, para contar o caos em que estão vivendo. Para viabilizar isso, eles enviaram pelas redes sociais, fotos e relatos das péssimas condições das estradas locais, a falta de atenção e solução dos problemas por parte do poder público, apesar dos inúmeros pedidos e protocolos.      

Segundo o morador, Renan Bordin, do loteamento Dona Sandra, no bairro Jabuticabal em Erechim, a rua de acesso ao local está completamente esburacada e sem condições de tráfego. Ele explica que o movimento é diário e que inclusive já houve um acidente com ônibus, nesse mesmo local.

“Está um perigo, a estrada está desmoronando logo no início da via, na rua João Segatti, há um ano um ônibus de uma empresa caiu ali, colocaram resto de asfalto, mas agora está muito pior. Quando chove é um perigo para todos”, comenta. E, acrescenta, “já fizemos inúmeros pedidos e protocolos na prefeitura”.

Já faz seis meses que Renan fez uma denúncia no Ministério Público Estadual, e a situação continua precária. O conteúdo da denúncia conta que há dois anos ele decidiu comprar a casa própria na cidade de Erechim (RS), foi a procura, e fez a escolha de uma casa no loteamento Dona Sandra.

“No momento da venda, o proprietário fez a promessa de que a rua que liga o loteamento ao bairro Jaboticabal seria pavimentada com asfalto ou calçamento. Desde então, ficamos à espera, eu e mais 98 famílias que residem no local”, diz a nota.

Segundo Renan, vendo que nada acontecia foi atrás do loteador e da prefeitura municipal, e em conversas com ambos, um jogava para o outro a responsabilidade. “A prefeitura municipal, na pessoa do prefeito, e de seus secretários, dizem que a responsabilidade é do loteador e do governo passado. As pessoas que lá residem não sabem mais a quem recorrer, já estamos sem pernas e voz para pedir. Mais de cinco vezes nos reunimos com o secretário e com o prefeito, e eles só nos dão desculpas. Além da pavimentação, as pessoas que trabalham, passam pela rua a pé durante à noite, e não tem nenhuma luz na rua, ficando perigoso, tem crianças que vão para a escola e, também tem que ir na penumbra e contar com a sorte para não ser assaltada ou atropelada”, diz a denúncia. 

Ele ressalta, também, a falta de luz na rua André Maccarini, que não tem sequer um poste de iluminação pública. Renan explica que em função disso, à noite, não tem nenhuma segurança, porém todos os meses na sua conta de luz da concessionária RGE ele paga por iluminação pública, sendo que não existe no local.

“Já fiz vários protocolos de pedidos de solução para a prefeitura, e até agora, só nos enrolaram. Tenho fotos da situação calamitosa do loteamento, e todos os protocolos também. Gostaria que o MP nos ajudasse no que for possível para solucionar esta situação, que a cada chuva fica pior”, relata.

Renan ressalta que o loteamento tem mais de 100 casas e está pronto há mais de três anos, no entanto, não tem transporte coletivo urbano, placas de ruas e serviço de correio.

Parque Lívia

Segundo o presidente da Associação de Moradores do Bairro Parque Lívia, Flávio Roberto Valsoler, a situação das ruas está insustentável. “Estamos há quatro anos pedindo, não querem nem falar com a gente. As ruas estão muito ruins, e apoio zero”, afirma.

Ele acrescenta que a falta de água no bairro é constante, outro problema grave. “A gente chega em casa no fim do dia e quer tomar banho e não tem água. E isso já faz 15 dias que está assim. Um dia sim e outro também. Quem não tem caixa fica sem água”, ressalta.       

Flávio comenta que a administração fez uma reunião na Morada do Sol, reuniram cinco bairros, e falaram que iam começar a ajudar os bairros. “Empurraram com a barriga até agora, essa reunião foi no fim do primeiro ano de mandato. E depois nada mais”, lembra.

Linha América

“Gostaria de pedir que o Jornal Bom Dia fizesse uma reportagem a respeito da estrada do interior na Linha América. Está um caos, sem condições de trafegar”, disse Eliane Brugnera, moradora do local. Esse foi mais um relato feito pela comunidade de Erechim, reclamando das péssimas condições das estradas do município e da falta de atenção do poder público.    

Eliane, acrescenta, “foram realizadas várias ligações para a Secretaria da Agricultura, mas acredito que essa estrada vicinal foi retirada do mapa da prefeitura, que até o momento nada está sendo feito”.

Leia também

Publicidade

Blog dos Colunistas