0°C
Erechim,RS
Previsão completa

Publicidade

Região

XX Feira do Livro de Getúlio Vargas encerra nesta sexta-feira com a realização do XI Sarau Cultural Artístico

Evento foi marcado pela diversidade de atividades e lembranças da história do município

Por Assessoria de Imprensa
Foto Divulgação

Após quatro dias em que Getúlio Vargas vem respirando intensamente arte e cultura, encerra na noite desta sexta-feira, 28, com a realização do XI Sarau Cultural Artístico, mais uma edição da Feira do Livro de Getúlio Vargas, que iniciou na terça-feira, dia 25 de junho. Em sua 20ª edição, o evento foi marcado por inúmeras atividades desenvolvidas de forma descentralizada na cidade – Centro de Convivência Natalício José Botolli, Centro Municipal da Cultura, Salão Nobre do Colégio Estadual Antônio Scussel e Salão do Bairro Santo André - , buscando concretizar o seu slogan: "Getúlio Vargas, Uma cidade leitora" e seu tema: “Se essa rua fosse minha...”.

O XI Sarau Cultural Artístico de Getúlio Vargas, que tem como tema “Alegria”, será realizado a partir das 19h30min, juntamente com o encerramento da Feira do Livro, no Salão Nobre do Colégio Estadual Antônio Scussel.

 

ABERTURA OFICIAL

A abertura oficial da XX Feira do Livro de Getúlio Vargas foi realizada na manhã do dia 25 de junho, no Centro de Convivência Natalício José Botolli, na presença de autoridades, convidados e comunidade. Presentes o Prefeito Mauricio Soligo; o vereador Nelson Rogalski, representando o Poder Legislativo; a Secretária Municipal de Educação, Cultura e Desporto, Sandra Betiatto; o Patrono da XX Feira do Livro, Edino Carlos Farias, a Patrona da XIX Feira do Livro, Maria Margarete Bianchi Prezzotto; o Presidente do Conselho Municipal de Cultura, Jhones Duarte; Diretor do Centro de Educação Ideau Colégio Santa Clara, Professor Me. Ivonei Fabiano Grollio, da Faculdade Ideau; o gerente Pessoa Física Sicredi Sul Minas, Marco Henrique Sodré Marques; ex-prefeito Pedro Paulo Prezzotto; Patrono da Feira do Livro, Patrono da Feira do Livro de 2008, Neivo Ângelo Fabris; secretários municipais, vereadores e outras autoridades, além de professores, estudantes e comunidade em geral.

A solenidade teve início com a divulgação do evento pelos Mascotes Leiturildo (Samuel Pomorski de Souza) e a Leiturilda (Bianca Oleksinski Maria), que, logo após, receberam da secretária de Educação Sandra Betiatto, seus diplomas de participação no concurso que escolheu os mascotes do evento.

Em seguida, foi feito o lançamento dos livros  de Gleison Juliano Wojciekowski: “Frederico Schubert e Orquestra de Concertos de Erechim: música de concerto em Erechim entre 1950 e 1968”; e “Os 100 músicos que fizeram o som em Erechim: a trajetória de 100 músicos ou grupos musicais que marcaram os 100 anos de Erechim”, momento em que o autor falou de suas obras e de seu amor por Getúlio Vargas e sua história.

Em seguida, foi feita a apresentação do Patrono da Feira,  Edino Carlos Farias. Ele recebeu a sineta das mãos da Patrona da XIX Feira do Livro, Maria Margarete Biachi Prezzotto.

A promoção da XX Feira do Livro de Getúlio Vargas é do Governo Municipal, através de uma Comissão Organizadora formada pela SMECD, Conselho Municipal da Cultura, Biblioteca Pública Municipal Dr. Léo Stumpf e Escola de Educação Básica Ideau. Este ano o evento conta com o patrocínio do Sicredi.

 

PRONUNCIAMENTOS

A secretária municipal de Educação, Cultura e Desporto, Sandra Betiatto, em seu pronunciamento deu ênfase ao tema da XX Feira do Livro de Getúlio Vargas: “Se essa rua fosse minha...”. Falou do sentimento de pertencimento, de tratar o município como se fosse seu. “Esse é o intuito dessa Feira do Livro. Fazer com que os cidadãos cuidem do seu município como se fosse a sua casa, a sua rua. Se essa rua fosse minha eu não jogaria o lixo na rua..., se essa rua fosse minha como é que eu ia cuidar dela?” Com esse questionamento solicitou a todos para levarem essa reflexão para suas casas e escola. Elogiou o desenho da capa feito pela Verena Dara Gallina, afirmando não foi simplesmente um desenho, foi um trabalho de pesquisa sobre o município. “Se formos fazer uma leitura do desenho, vemos que ele conta a história de Getúlio Vargas. Sandra ainda agradeceu aos patronos Margarete e Edino por também fazerem parte dessa história.

Em sua despedida, Maria Margarete Biachi Prezzotto, agradeceu pela oportunidade que lhe foi dada de viver essa rica experiência como Patrona da XIX Feira do Livro. Ao entregar a sineta ao Patrono Edino Farias desejou que ele faça ecoar o seu som em todos os lugares da cidade, despertando em todas as idades o precioso gosto pela leitura. Margarete destacou que o mundo virtual tomou o espaço dos livros, porém fez questão de lembrar que o livro traz sentimentos que um computador nunca irá substituir.

O Patrono Edino Carlos Farias disse que estava vibrando por dentro com a presença de quase 400 crianças e jovens que estavam presentes na solenidade de abertura da Feira. Afirmou que não se considera um escritor, mas admitia ser um historiador ou um contador de causos, e estava ali para colaborar com o município, especialmente no ano em que comemora 85 anos. Edino destacou que o tema da XX Feira do Livro lhe tocou profundamente: “Se essa rua fosse minha...”.    Ele aproveitou para falar sobre a rua aonde nasceu: a Senador Salgado Filho e das coincidências que aconteceram em sua vida e sua família com o nome dessa rua e seu personagem. Edino deu conselhos às crianças e, com bom humor, contou duas anedotas de professor e aluno. O professor Edino Carlos Farias também fez o lançamento do seu livro: “O Senhor da Nossa Aldeia100 anos do Tabajara Futebol Clube – Um pouco de uma grande história”.

O prefeito Mauricio Soligo enalteceu que, nesse ano, está sendo homenageada uma pessoa que se identifica muito com a história do município, um professor de educação física, a quem todos muito se recordam quando se lembram das semanas das escolas. “Lembro muito do seu carinho e do seu amor por nossa cidade, principalmente do apego do professor Edino ao município de Getúlio Vargas. Também salientando o tema do evento, questionou o que cada um quer para a sua cidade. Soligo afirmou que “ajudar a cuidar da cidade é, sem dúvida, um trabalho importante e papel de cada um de nós”. Agradeceu ao Patrono Edino Farias por ter aceitado ser Patrono do evento.

 

HOMENAGEM

Durante a solenidade de abertura oficial da Feira do Livro, a aluna Verena Dara Gallina, do 8º Ano da E.E.E.F. Mathias Lorenzon, foi homenageada pelo município, através da Secretária Municipal de Educação, Cultura e Desporto, Sandra Betiatto, e do Prefeito Mauricio Soligo, com a entrega do Certificado de vencedora do 3º concurso para escolha do desenho da capa do folder da XX Feira do Livro do município de Getúlio Vargas.

 

TEATRO E CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS

A primeira atividade da XX Feira do Livro de Getúlio Vargas foi o Espetáculo Teatral ‘‘Histórias para voar’’ (exposição de arte e Kombi Biblioteca Taru), do Grupo Teatral: Voos da Alma, que foi apresentado em dois horários, logo após a cerimônia de abertura e à tarde, reunindo quase 1.000 crianças para assistir a peça.

Na quarta-feira, dia 26 de junho, o grupo de alunos da EMEI Olivo Castelli participou, à tarde, no Centro de Convivência Natalício Botolli, da Contação de Histórias – A nova era dos três porquinhos: e o mundo virtual chegou na floresta. No mesmo dia, o Patrono Edino Farias fez uma visita ao 5º ano da EMEF 15 de novembro, pela manhã. Também foi realizada Oficina de Graffiti: Intervenção da Arte Urbana, tendo como mediadores Luan Guilherme Levinski (estudante de Arquitetura e Urbanismo) e Maicon dos Santos (Graduado em Artes), em dois turnos, sendo pela manhã no Centro Municipal da Cultura, e, à noite, no Salão Nobre do Colégio Estadual Antônio Scussel.

Na quinta-feira (27), pela manhã, tarde e noite, teve Causos de Rua – Histórias de Rua, tendo como mediadores David Zanoni, Edino Carlos Farias, Darcy José Peruzzolo e Rení Giaretta Oleksinski. Recordações e riqueza de detalhes lembraram histórias de nossas ruas. A atividade foi desenvolvida no Centro Municipal da Cultura. À tarde, no Salão do Bairro Santo André, teve Contação de Histórias – A nova era dos Três Porquinhos: e o mundo virtual chegou na floresta, com grupo de alunos da EMEI Olivo Castelli. Nos dias 26 e 27 teve comercialização de livros no Calçadão, pela Livraria Klein.

Publicidade

Publicidade

Blog dos Colunistas