0°C
Erechim,RS
Previsão completa

Publicidade

Construção e Decoração

Papel de parede

Papel de parede, paredes de papel

Por Forum da Construção
Foto Divulgação Megacurioso

Explore as diferentes possibilidades que eles podem dar à decoração da sua casa

Depois de vários anos esquecido, o papel de parede voltou a dar o ar da sua graça em casas de todo o mundo. Usado como ferramenta de decoração de interiores ele confere, de imediato, uma nova personalidade e ambiente às paredes.

Origem

Aplicado nas casas europeias desde 1481 – altura em que era um símbolo de status – o papel de parede cresceu em prestígio e em popularidade durante os séculos seguintes e os números comprovam-no: enquanto em 1851 se venderam 5 milhões de rolos, em 1874 esse número subiu para os 32 milhões. O auge do “papel de parede mania” viveu-se nas décadas 50, 60 e 70 do século passado, tendo resfriado um pouco até que o século XXI reintroduziu-o nas tendências de decoração.

Versátil e surpreendente, o papel de parede pode alterar drasticamente a decoração de qualquer espaço, dando-lhe uma lufada de ar fresco imediata e global; pode servir de ponto de partida e de inspiração para completar o restante look de uma divisão; pode ampliar um espaço pequeno ou tornar mais íntimo um espaço amplo; pode camuflar os “acidentes” quotidianos, pode ainda conferir um toque dramático ou elegante, divertido ou infantil…basta para isso escolher o padrão e as cores certas.

Brincar com o papel

Aproveite ao máximo todas as potencialidades de um bom papel de parede e de tudo aquilo que ele possa fazer pela sua casa. Antes de se divertir a escolher (sim, porque a decoração deve ser um prazer!), pense no efeito que quer e o que deve procurar para consegui-lo:

•Para criar uma divisão maior: a regra básica é escolher papel de parede em cores claras, mas saiba que com riscas verticais o espaço também irá “crescer” porque a tendência será acompanhar as riscas, olhando para cima. Se combinar cores pastéis com riscas verticais, conseguirá criar a ilusão de um quarto mais amplo e com um pé direito mais alto! Se quiser trabalhar apenas com as riscas, experimente aplicar o papel na horizontal, para um quarto ou sala instantaneamente mais largo!

•Para criar uma divisão mais íntima: escolha um papel de parede que combine cores quentes com motivos pequenos e mais concentrados. Pode ainda aplicar o papel no teto para dar a ilusão que este é, na realidade, mais baixo. Por outro lado, a escolha de cores como os azuis, verdes e violetas (principalmente em tonalidades claras) proporcionará um ambiente calmo.

•Para um efeito dramático: a opção por cores escuras vai emprestar um ar dramático a qualquer quarto, um efeito que pode ainda ser potenciado com a iluminação direta de quadros ou outras peças decorativos nas próprias paredes. Em alternativa, escolha apenas uma parede chave e vista-a com um padrão imponente.

•Para esconder imperfeições: para paredes irregulares, opte por papéis mais grossos e pesados, em vez de modelos com riscas ou padrões geométricos que, para além de acentuar fissuras e outras imperfeições, têm uma maior probabilidade de rasgar e/ou descolar.

•Divisões grandes: espaços amplos suportam bem grandes padrões que, combinados com uma boa iluminação, vão criar um ambiente espetacular; ao contrário de motivos ou cores demasiado subtis, que poderão tornar uma divisão ampla, desconfortável e pouco convidativa.

•Para quartos infantis: tente escolher um meio-termo entre padrões de bebê e de criança/adolescente, para não se cansar em pouco tempo ou então esta pode ser a divisão ideal para aplicar papel de parede sobre o qual é possível pintar.

•Padrões grandes: ideais para divisões com grande atividade ou para aquelas que têm menor uso – um hall de entrada, corredor, casa de banho de serviço ou sala de jantar formal.

•Padrões pequenos: ideias para as divisões quotidianas, como a sala de estar, quarto ou escritório.

•Riscas e quadrados: embora possam parecer, nem todas as divisões são completamente “quadradas”, o que quer dizer que papel de parede com riscas e quadrados pode não “alinhar” na perfeição, especialmente em torno de portas e janelas. Verifique o seu espaço, com recurso a um esquadro de carpinteiro.

•Flores, figuras e outros objetos: se forem grandes, vão reduzir visualmente o espaço; se foram pequenas, vão expandi-lo.

Escolher com estilo

Uma excelente alternativa à tinta, mas também mais caro, o papel de parede exige que se escolha não só a cor, mas também o padrão e até uma textura se quiser ir mais longe. Para que não desespere na escolha daquele que irá transformar alguns (ou muitos!) metros quadrados da sua casa, comece por delinear a quantidade de parede que quer cobrir: uma, todas ou quer apenas criar um recanto específico numa divisão?

Para cozinhas, casas de banho, quartos de criança ou outros locais sujeitos a elevado trânsito, peripécias e sujidades, opte por um papel de parede duradouro, de preferência revestido com vinil – aguentam tudo e são mais fáceis de limpar.

Logicamente, o papel a aplicar numa cozinha ou casa de banho deve ser resistente à água, mas igualmente fácil de limpar. Com uma amostra, teste a sua resistência aos líquidos ao molhar uma secção com um pano húmido para ver se desbota. Onde não há perigo de água, humidade ou muita sujidade, escolha entre papel, tecido ou texturas várias.

Depois basta utilizar o bom senso e a sua veia de decorador para combinar o papel de parede com o estilo e as cores já existentes no espaço em questão. Quando estiver a escolher um papel de parede, seja em catálogo, seja em amostras reais, nunca analise as opções em cima de uma mesa, mas sim encostadas ao seu habitat natural – às paredes!

Peça sempre uma amostra ao seu decorador ou na loja de decoração, leve-a para casa e observe, durante alguns dias, o seu efeito na área da casa que pretende modificar.

Fonte:www.eudecoro.com.br via Fórum da Construção

Leia também