25°C
Erechim,RS
Previsão completa
0°C
Erechim,RS
Previsão completa

Obituário

Erechim perde médico e escritor Paulo Dias Fernandes

teste
Em seu consultório, exibia com orgulho, um quadro na parede, o diploma de médico, assisando pelo pre
Por Rodrigo Finardi
Foto Rodrigo Finardi

Aos 91 anos faleceu no início desta manhã, 11 de agosto, em Erechim, o médico e escritor Paulo Dias Fernandes. Ele estava internado no Hospital de Caridade.
O médico com 65 anos de profissão, entre os médicos cooperados da Unimed Erechim (mais de 220) possui o registro mais antigo do Conselho Regional de Medicina com o nº 1271.
Ele se formou pela Universidade Federal do Paraná em Curitiba e no mês de novembro completaria sessenta e cinco anos dedicados a Medicina. Em seu consultório, exibia com orgulho, o diploma de médico emoldurado, assinado pelo presidente da República da época, Juscelino Kubitschek.  
 Com o consultório sempre cheio, o otorrinolaringologista Paulo Fernandes nunca pensa em parar de trabalhar. Em entrevista há alguns anos disse:  “vou fazer o que?  A Medicina e os livros são a minha vida. Enquanto estiver bem continuarei a clinicar e escrever”.
 Além da Medicina, dividia seu tempo com os livros, outra paixão de sua vida.  Seu primeiro conto foi publicado quando tinha 17 anos e ainda cursava o 1º Científico em Santa Maria. A partir daí teve uma história riquíssima na literatura.   
 Em 1960 teve seu primeiro livro publicado. Mais tarde teve um livro de contos escrito em parceria com o escritor Jorge Amado e que foi publicado pela Editora Edelbra de Erechim. 
 Viveu em Erechim por 63 anos. Chegou em solo bota amarela no final da década de 1950, convidado por um amigo médico. Clinicava no Hospital Santa Terezinha e também no Hospital de Caridade. Sempre dizia: “Gostei muito da cidade. Fui recebido muito bem”. Mas outros motivos acabaram o enraizando definitivamente por aqui. 
Como gostava de escrever foi convidado para lecionar no Instituto Barão do Rio Branco. E no educandário sua vida tomou um novo rumo. Se apaixonou por uma aluna, acabou casando com ela. 
Na fundação da Unimed Erechim em 1971 estava presente. Ajudou neste processo tornando a cooperativa médica a primeira do Rio Grande do Sul.
Deixa a esposa Ivone Tozatti, casal de Filhos, Gil e Lis e quatro netos (Cecília, Bernardo, Franco e Jorginho)
A filha Lis Tozatti Fernandes, seguiu os passos do pai e se formou médica, clinicando ao seu lado. Nas redes sociais fez uma homenagem para ele: “Hoje é o dia mais triste da minha vida, pois perdi um grande amigo, um mestre, meu norte. Aquele que sempre esteve ao meu lado nos melhores e piores momentos, minha fortaleza. Muitos anos de convivência na vida e no trabalho, nunca teve uma palavra de desagrado. Com o coração apertado me despeço de meu PAI, sabendo que por onde ele passou, só deixou coisas boas, com sua bondade e sabedoria.  Quanto orgulho temos de você!! Paizinho! Que Deus lhe receba de braços abertos e que você continue nos guiando sempre!! Seu sorriso largo nunca sairá de nossas mentes! Com Amor para sempre”.
O corpo será velado no Cemitério Jardim da Saudade e o velório acontece das 12 às 16 horas. 

Publicidade

Blog dos Colunistas