25°C
Erechim,RS
Previsão completa
0°C
Erechim,RS
Previsão completa

Geral

Os benefícios ambientais e sociais de florestas plantadas

teste
Engenheiro Florestal, Roberto Magnos Ferron: “As florestas nativa e plantada são verdadeiras esponja
1
2
3
Por Rodrigo Finardi
Foto Divulgação

O Engenheiro Florestal e Presidente do Rotary Club de Erechim, Roberto Magnos Ferron mostra a importância da manutenção das matas, para regulação dos recursos hídricos, além de outras vantagens para a melhoria da qualidade de vida: Precisamos compreender a importância e os benefícios das florestas, e isto requer assumir uma nova postura ética e moral - a da sustentabilidade”

 

Informações atualizadas do Setor Florestal Brasileiro e Gaúcho, de acordo com o Engenheiro Florestal, Roberto Manos Ferron, revela os benefícios ambientais e sociais das florestas nativas e plantadas.

Em entrevista ao Jornal Bom Dia, Ferron fala sobre esse tema tão importante e tão necessário ser abordado nos dias atuais, quando se fala de crise hídrica, emissão de gases, desmatamento, pragas e doenças que afeta a todos indistintamente.

 

BD: Para iniciar essa entrevista, gostaria de entender o porquê dos benefícios das florestas plantadas.

Roberto Ferron: Justamente porque havendo florestas plantadas produzindo matéria prima florestal e madeireira, deixasse de utilizar matéria prima vindo da floresta nativa, e assim as conservamos e as preservamos para nossas futuras gerações.

BD: Poderia citar quais são estes benefícios ambientais?

Ferron: São vários, como o sequestro de carbono, já que 9 milhões de hectares de árvores plantadas absorvem 1,88 bilhões de toneladas de CO2 da atmosfera, um dos gases causadores do efeito estufa e do aquecimento global. E isso também é fundamental para comparar as emissões de vários gases de efeito estufa, baseada no potencial de aquecimento global de cada um.

BD: É importante também para as áreas de preservação permanente?

Ferron: Exatamente. Hoje temos 5,9 milhões de hectares de áreas naturais na forma de Áreas de Preservação Permanente (APPs), Reserva Legal (RL) e Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPNs). O Brasil é um dos poucos países que tem estas áreas de preservação e conservação, especialmente as margens dos cursos e nascentes d’água;

BD: E a questão das áreas degradas em recuperação?

Ferron: Engenharia Florestal desenvolveu novas técnicas de recuperação de áreas degradadas e improdutivas com a introdução de sistemas silvo pastoris e agrícolas.  Dados de 2019, mostram que temos 32,7 mil hectares contemplados em programas de restauração de áreas degradadas. Temos 7,4 milhões de hectares que são certificados na modalidade manejo florestal, garantindo a sustentabilidade e as boas práticas do setor. Assim, para cada 1 hectare de florestas plantadas, conserva-se aproximadamente 0,7 hectare de área natural.

BD: E os benefícios sociais. Quais são?

Ferron: Os investimentos em programas socioambientais totalizam R$ 828 milhões. As iniciativas beneficiam cerca de 6,9 milhões de pessoas, em aproximadamente mil municípios, empregando mais de 3,77 milhões de pessoas. Isso acaba acarretando benefícios fiscais, responsável pela geração de R$ 13 bilhões em tributos federais, estaduais e municipais, sendo responsável por 0,9% da arrecadação nacional.  Além de que beneficiam a conservação das florestas nativas. As árvores plantadas são uma matéria-prima renovável, reciclável, amigável ao meio ambiente e à vida humana.

BD: O que são as florestas energéticas?

Ferron: As florestas energéticas são florestas plantadas com a finalidade de produção de biomassa para geração de energia, evitando a pressão e a degradação de ecossistemas naturais. Destas florestas se produz lenha, cavaco, briquetes, pellets e carvão de origem vegetal, aquecendo residências, propiciando o cozimento de alimentos, gerando vapor e calor as indústrias, e outra gama de benefícios. O incrível é que as árvores capturam a energia solar, absorvem o gás carbônico retendo o carbono em seu corpo lenhoso, e com uma pitada de nutrientes do solo e agua reservada em suas raízes, fazem a fotossíntese produzindo seu próprio alimento.

BD: O plantio de árvores preserva o solo, as nascentes dos rios, fundamentais para a regulação hídrica.

Ferron: Exatamente. Além das funções produtivas, os plantios de árvores desempenham importante papel na prestação de serviços ambientais: evitam o desmatamento do habitat natural, protegendo a biodiversidade; preservam o solo e as nascentes de rios; regulam o regime hídrico; recuperam áreas degradadas; são fontes de energia renovável e contribuem para a redução das emissões de gases causadores do efeito estufa por serem estoques naturais de carbono, entre outras.  As florestas nativa e plantada são verdadeiras esponjas e caixas de água natural, pois retém e armazenam a água na serapilheira (manta de material orgânico sobre o solo), e infiltram a água das chuvas. Apenas uma árvore adulta é capaz de infiltrar numa chuva de uma hora, dois mil litros de água solo adentro.

 

BD: Como o Brasil está ranqueado no mundo, quando falamos de florestas nativas?

Ferron: As florestas nativas somam 36% do total das áreas do planeta. Os países com maior área de floresta do mundo são Rússia, Brasil, Canadá, Estados Unidos e China, que juntos somam mais de 50%. Dos 233 países pesquisados, 10 países não possuem florestas, e outros 54 possuem menos de 10%. Mesmo diante de tanta vida e exuberância, a destruição das florestas continua em todo planeta, seja por catástrofes naturais (queimadas, vendavais, entre outros), ou pela ação desmedida do “ser humano”.

BD: Poderia ser mais específico, sobre os números no Brasil?

Ferron:  O gigantismo do Brasil se expressa na área florestal, pois detém 14,5% das florestas do planeta, e temos 63% do território coberto por florestas.   Nossa área territorial corresponde a 851 milhões de hectares, sendo 528 milhões de hectares (62%) de florestas nativas. Nossos Biomas são representados pela Amazônia com 417 milhões de hectares (49,0%), o Cerrado com 200 milhões de hectares (23,5%), a Mata Atlântica com 110 milhões de hectares (13,0%), Caatinga com 85 milhões de hectares (10,0%), o Pampa com 23 milhões de hectares (2,0%), e o Pantanal com 15 milhões de hectares (1,70%).

BD: E o mundo de olho na Floresta Amazônica?

Ferron: Temos uma imensa riqueza florestal natural que é Floresta Amazônica, uma das maiores do planeta. No entanto, continua sendo alvo de exploração predatória e ilegal, ameaçando sua conservação e manutenção. Apesar dos esforços do Governo Federal, através do Ministério do Meio Ambiente (MMA) ainda existe o comércio ilegal de madeira ilegal que sai da Amazônia para abastecer grande parte do mercado nacional, chegando próximo a 90% do total consumido no país, e o mercado internacional. E por incrível que pareça, aqueles países que mais detratam o Brasil na mídia internacional, como a França, Alemanha, Inglaterra, EUA, entre outros, são os que querem internacionalizar a Amazonia.

BD: Quais são as múltiplas funções das florestas?

Ferron: As florestas possuem múltiplas funções, pois prestam relevantes serviços ambientais a sociedade nos fornecendo madeiras, abrigo, calor, alimentos, remédios, recreação, lazer, reserva de água e captura de carbono.  A madeira é o mais renovável e sustentável de todos os materiais utilizados por “nossa cultura”. Isso porque, a madeira é constituída por 99% de ar e água, sendo 50% de carbono da atmosfera e 49% de hidrogênio e oxigênio da água, da energia do sol e de uma pitada de substâncias minerais retiradas da crosta da terra. Precisamos compreender a importância e os benefícios das florestas, e isto requer assumir uma nova postura ética e moral - a da sustentabilidade.

BD: Qual a importância dos recursos naturais para os seres humanos?

Ferron: As florestas são um dos mais fantásticos ecossistemas terrestres. O Brasil é o maior país tropical do mundo, além de ter a maior diversidade do planeta. Estima-se que, quase 30% de todas as espécies vivam aqui. Abriga o maior número de primatas, anfíbios, peixes de água doce e plantas com flores, têm o maior número de vertebrados e provavelmente lidera também a variedade de insetos; está em segundo lugar em números de répteis, palmeiras e espécies endêmicas, ou seja, aquelas que não são encontradas em nenhum outro lugar. O ser humano é dependente e profundamente ligado a existência de outras espécies, e aos recursos naturais guardados pelas florestas.

BD: As mudanças climáticas vêm desafiando os governos por todo o mundo, e as ações tomadas não são na mesma velocidade.

Ferron: O mundo está perdendo a corrida contra as mudanças climáticas. A restauração florestal é uma das maiores oportunidades para mudar esse cenário, e só um coletivo organizado de instituições públicas e privadas, com a colaboração de pessoas atuantes, é capaz de criar uma onda de restauração em larga escala no país. O Brasil pode liderar este movimento e ser o modelo para o mundo, por tudo que já foi dito e mostrado com dados nessa entrevista.

BD: É hora de arregaçar as mangas então?

Ferron: Cito uma frase de Brian McPeek, presidente da The Nature Conservancy, para responder a essa pergunta: “Nós somos a última geração com chances de colocar o mundo em um caminho de sustentabilidade e evitar mudanças climáticas catastróficas”.

 

Algumas das múltiplas funções das florestas

ARMAZENADORA – CAIXA’ÁGUA NATURAL: as árvores de uma floresta armazenam 50% de água que cai das chuvas.

INFILTRADORA: as árvores têm a capacidade de infiltrar 50% da água que cai sobre uma floresta, sendo que 20% absorvem para si próprias e 30% abastece o lençol freático (rios subterrâneos). Durante uma chuva de uma hora, infiltram 150 litros de água por metro quadrado.

EVAPORADORA – BOMBA DE SUCÇÃO: são verdadeiras bombas sugadoras de água e nutrientes do solo.

REFRIGERADORA DO AMBIENTE – REGULADORA TÉRMICA: parte da água sugada não é utilizada pela planta e evapora pelas aberturas que há nas folhas (estômatos). Com isto, há uma redução de temperatura ambiente.

FILTRADORA: uma floresta adulta chega a filtrar de 32 a 80 toneladas de pó por hectare. Também, filtram substâncias radiativas.

DILUIDORA: são capazes de diluir gases nocivos aos seres vivos.

REDUTORA: uma faixa de 50 metros de largura de árvores, podem reduzir os ruídos de 20 a 30 decibéis.

CAPTADORA: captam de 1 a 20% da radiação solar, fazendo o efeito guarda-chuva.

PROTETORA: os quebra-ventos podem reduzir até 40% a velocidade a uma área aberta. Também, tem efeito protetivos contra chuvas, granizos e neves. Além de proteger o solo contra erosão

FIXADORA: fixam diversos elementos químicos voláteis e suspensos no ar.

REPOSITORAS: ao completar o ciclo dos nutrientes, transfere do subsolo a camada superficial, grandes quantidades de nutrientes.

SEQUESTRADORA: as árvores têm a grande capacidade de tirar da atmosfera o gás carbônico, fixando o carbono a madeira, e liberando oxigênio, quando em fase de crescimento.

PRODUTORA: alimentos, madeiras e remédios.

PROPORCIONADORA: calor, abrigo, lazer e recreação.

ESTIMULADORA: de bem-estar, alívio e estimuladora sexual.

 

Leia também

Publicidade

Blog dos Colunistas