14°C
Erechim,RS
Previsão completa
0°C
Erechim,RS
Previsão completa

Publicidade

Erechim

MAB realiza em Erechim ato contra os aumentos no preço da luz

teste
Movimento diz que aumentos na conta de luz são abusivos
Por Alan Dias com informações Ascom
Foto Divulgação

Na próxima segunda-feira (27), pela manhã, o Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) realizará ato de denúncia contra as tarifas de energia elétrica, consideradas abusivas pelo movimento. Os atos ocorrerão em Porto Alegre, no Largo Glênio Peres, com início às 10h, e em Erechim, na Esquina Democrática (Avenida Maurício Cardoso com a Rua Itália), às 14h. As ações fazem parte da jornada de lutas em todo o Brasil contra os preços abusivos da energia elétrica.

A reivindicação organizada pelo MAB denuncia os altos preços da energia elétrica, que têm afetado principalmente a população de baixa renda. “Além disso, as empresas de energia têm reajustado as tarifas sistematicamente, apoiadas na ideia da crise hídrica. Com a nova bandeira tarifária implementada pelo governo federal, houve aumento de R$ 14,20 para cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumido, impactando o orçamento das famílias. Muitas das famílias comentam que, com o aumento das tarifas, têm deixado de comer para ‘não ficar no escuro’, disse o MAB em nota para a imprensa.

 

Tarifa Social

Vale destacar que muitas famílias têm direito à Tarifa Social de Energia Elétrica (TSEE) e não a acessam. Segundo dados do Ministério de Desenvolvimento Social, mais de 450 mil famílias no estado do RS tem esse direito, sem efetivação do mesmo.

 

Reivindicações

Dentre as pautas o ato em Erechim e Porto Alegre visa: rever os aumentos do preço da luz; a devolução do dinheiro ao povo atingido pelas tarifas consideradas abusivas; que não seja permitido o corte da energia nos casos das famílias que não tenham condição de pagar, ou estejam inadimplentes; o cumprimento da lei que dá o direito de acesso automático à Tarifa Social de Energia Elétrica para a população de baixa renda; a isenção da tarifa de energia para todas as famílias cadastradas no CadÚnico até o final da pandemia; e um preço justo de energia para toda a população.

Publicidade

Blog dos Colunistas