14°C
Erechim,RS
Previsão completa
0°C
Erechim,RS
Previsão completa

Publicidade

Ensino

Egressa da UFFS publica livro baseado em seu TCC

Pesquisa de Camila De Paris, do curso de Licenciatura em Ciências Sociais, analisou ação pedagógica da escola ninja contida no mangá “Naruto”

teste
camilaa.png
Por Assessoria UFFS
Foto Divulgação

O mangá “Naruto”, sucesso do japonês Masashi Kishimoto, serviu de objeto de pesquisa para Camila De Paris, egressa do curso de Licenciatura em Ciências Sociais da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) – Campus Erechim. Agora, o estudo virou livro. “Esse é meu jeito ninja?” (Editora Aprris) será lançado no dia 19 de maio, às 19h30, no YouTube (https://youtu.be/thRpQ34FM5c).

Na obra, a egressa da UFFS busca interpretar a ação pedagógica contida na escola ninja do mangá, enquanto instituição social que tem por atribuição produzir o habitus social do estudante. Para isso, Camila utiliza o livro “A Reprodução: elementos para uma teoria do sistema de ensino”, de Pierre Bourdieu e Jean-Claude Passeron. A autora analisou 21 capítulos da primeira parte de “Naruto”.

"O desafio foi apresentar uma pesquisa que representa um exercício sociológico, usando um objeto empírico para transformá-lo em um objeto de estudo, possibilitando que o conhecimento científico ultrapasse os muros da academia e permita seu acesso, e sobretudo sua compreensão, para a sociedade de um modo mais amplo", comenta Camila, que foi orientada, em seu TCC, pelos professores Clóvis Schmitt Souza e Gustavo Giora.

Camila, formada em História pela Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (URI), resolveu estudar Ciências Sociais após conhecer o curso da UFFS. "Minha graduação em Ciências Sociais me proporcionou muitos aprendizados. Fui bolsista do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid) e da Residência Pedagógica, o que me possibilitou ensinamentos de extrema relevância. Estudar na UFFS, uma instituição pública, popular e de qualidade, me oportunizou chegar até aqui e saber que posso ir muito mais além", conclui a pesquisadora.

Leia também

Publicidade

Blog dos Colunistas