18°C
Erechim,RS
Previsão completa
0°C
Erechim,RS
Previsão completa

Publicidade

Ensino

Da escola para as oportunidades do mundo: Ex-aluno do Marista Medianeira é aceito em universidade do Canadá

Lucca Cidade concluiu seus estudos no colégio em 2020 e fará o curso de Bacharel em Ciências Políticas, Economia e Política no exterior

teste
Lucca Cidade, ex-aluno do Colégio Marista Medianeira
Por Assessoria de comunicação
Foto Divulgação

Em sua trajetória escolar, o estudante constrói e solidifica conhecimentos, aprendizagens e vínculos que podem perdurar para a vida toda. Sem dúvida, o espaço escolar tem papel fundamental em, tanto formá-los academicamente, como também, mostrar a eles caminhos nos quais podem seguir após concluírem a escola. No Colégio Marista Medianeira, os estudantes são incentivados em sua inteireza, respeitados e auxiliados em suas trajetórias individuais, como também na construção das relações com o outro.

Através do Intercâmbio Marista, por exemplo, oportunizado aos estudantes do 9º ano do Ensino Fundamental ao Ensino Médio, os jovens são inseridos em novos contextos e ambientes, onde conhecem novas culturas, novos sistemas de ensino, novos lugares e são estimulados a desenvolverem a liderança e a autonomia.

Em um contexto de continuidade da vida acadêmica após o ciclo da Educação Básica, muitos dos ex-alunos do Marista Medianeira já se destacaram em aprovações em universidades dentro e fora do país. Um exemplo é o ex-aluno Lucca Cidade, que após 7 anos fazendo parte do Colégio como estudante, e assumindo papéis de liderança dentro da rotina escolar, concluiu o 3º ano do Ensino Médio em 2020 e ingressou em uma universidade no exterior.

 Lucca foi aceito na Universidade de Montréal, da cidade de Montreal, no Canadá, e em 2021, participará do “ano preparatório”, para que, em 2022, possa iniciar o curso de Bacharel em Ciências Políticas, Economia e Política, dentro da Faculdade de Artes e Ciências da universidade. Em entrevista ao Colégio, Lucca contou um pouco de sua trajetória até entrar na universidade e quais são suas expectativas para este novo ciclo.

 

Assessoria do Colégio: Como você se sentiu com o aceite? Quais são as suas expectativas para o curso?

 

Lucca: Eu fiquei muito surpreso com a resposta da universidade por duas razões. Por mais que os índices de aprovação às universidades no Canadá sejam relativamente altos (50% em média), sempre é uma surpresa ser aceito. Além disso, eu imaginava que a resposta ia chegar muito mais tarde, em torno de abril ou até maio. Fiquei muito feliz de receber o aceite e tão cedo. Tenho muitas expectativas com esse primeiro curso, obrigatório para os estrangeiros que pretendem fazer bacharel de 3 anos em seguida. Nesse primeiro momento, irei aprender os métodos de trabalho universitário canadenses, pensamento racional e argumentação, além de matérias das 3 principais áreas do conhecimento, que vou poder escolher de acordo com os meus interesses e, quem sabe, descobrir novas áreas que eu posso seguir no bacharel.

Assessoria do Colégio: Você já havia viajado para fora do país? Já conhecia o sistema de ensino universitário de outros países?

 

Lucca: Em 2017, participei de um intercâmbio de um mês, junto à escola onde eu fazia curso de inglês, para o Canadá. Fiquei em Toronto, mas meu grupo e eu viajamos também, por alguns dias, para a província do Québec. Na época eu não falava francês, mas voltando de lá comecei a estudar, porque tudo me impressionou muito. Ainda não conhecia o sistema universitário canadense e comecei a pesquisar no mesmo ano sobre essa possibilidade e, apesar da dificuldade de encontrar informação nos sites de cada universidade, fiquei impressionado com a facilidade que é seguir os estudos fora do país, em relação aos processos de aceite. Acho que a ideia de fazer faculdade internacional é mais assustadora e difícil do que o próprio processo.

 

Assessoria do Colégio: Estudar ou morar fora do país sempre foi um sonho?

 

Lucca: Eu acho que nunca esperei ou sonhei estudar em algum outro país antes de conhecer o estrangeiro, mas sempre quis morar fora do Brasil. Depois do meu intercâmbio, no entanto, comecei a fazer tudo para isso, focar na escola, tentar exercer papeis de liderança e protagonismo, porque tudo isso conta nesse caminho para a universidade em países como o Canadá e os Estados Unidos. Inicialmente, queria estudar nos Estados Unidos, mas após pesquisar e entender melhor os sistemas de vida e de ensino do país, optei pelo Canadá. A corrida por esse objetivo vem, em grande parte, da procura por valores. Ter estado no Canadá me deu uma sensação muito grande de pertencimento, de aceitação e de valorização e, depois que alguém conhece isso, não consegue evitar procurar por isso. 

 

Assessoria do Colégio: Você se inscreveu para outras universidades estrangeiras?

Lucca:
Além da Université de Montréal, me inscrevi para a McGill University, porque gostaria de experienciar a parte francesa do Canadá, me mantendo na província francófona do Québec, mas esse resultado pode chegar até o fim de maio. Me inscrevi nas duas pela segurança de ter uma segunda opção, mas recebendo o aceite da primeira, já me inscrevi porque, além de eu poder receber até 50% de bolsa pelas minhas notas do Ensino Médio, posso seguir os estudos em francês.

Assessoria do Colégio: Como você descreve a contribuição que o Colégio Marista Medianeira teve na sua formação acadêmica e como ser humano, e como acha que isso influenciou na conquista do seu aceite?

Lucca: Não consigo evitar de elogiar ou recomendar o colégio quando me perguntam sobre. Percebo que a constante abertura proporcionada nos anos de estudo, além da maestria no ensino e na escuta ativa dos profissionais, foi responsável pelo meu desenvolvimento como estudante e como ser humano. A oferta de caminhos para crescimento e a constante exaltação da necessidade do protagonismo e da participação, com certeza me impulsionaram a ser melhor todos os dias, me saindo melhor do que jamais imaginei.

Assessoria do Colégio: Que dica ou recado você deixa para os estudantes que gostariam de estudar em uma universidade fora do país.

Lucca: O mais importante posso deixar aqui em uma só frase, com muita certeza sobre o que digo e com a confiança de que acreditarão em mim: é muito mais fácil do que você pode achar. Não é porque é fora do país, que você não é capaz de participar. Pesquise, procure, estude em direção ao que você quer, porque se depender de você, já conseguiu.

Leia também

Publicidade

Blog dos Colunistas