25°C
Erechim,RS
Previsão completa
Euro R$ 6,49 Dólar R$ 5,56
0°C
Erechim,RS
Previsão completa
Euro R$ 6,49 Dólar R$ 5,56

Publicidade

Especial

Artigo: Viagra em tempos de pandemia

Padre Valter Girelli Formado em Filosofia e Teologia Reitor do Santuário de Fátima Erechim - RS
Por Padre Valter Girelli
Foto Divulgação

 

Estamos vivendo uma situação totalmente nova. Certamente nem as grandes guerras geraram sentimentos tão fortes de medo e insegurança. Um inimigo invisível foi capaz de colocar a humanidade toda em alerta. Quando o inimigo é visível temos noção para onde mirar os canhões, as bombas, as balas... Mas agora o inimigo é invisível... Ele pode estar ao seu lado, dentro da sua casa, da sua empresa, da sua Igreja. Sentimo-nos todos desarmados.

Dois sentimentos são insuportáveis, o sentimento de insegurança e de infelicidades. Quando esses sentimentos se apossam da alma humana ela quer a todo custo encontrar uma saída restabelecendo a segurança e buscando ser feliz.

As nações, desde que se tem notícia, sempre se armaram e organizaram exércitos e investiram pesado na fabricação de armas e bombas e na montagem de estratégias dividindo o planeta em países aliados ou inimigos, possíveis ou imaginárias. Quanto dinheiro foi investido nisso. E agora nos perguntamos, para que serve tudo isso, se o inimigo é invisível e está em todo planeta...

Os principais inimigos do ser humano, na verdade, são invisíveis: o ódio, a ira, a inveja, a prepotência, a ganância, a insensibilidade, a indiferença, etc... são vírus invisíveis que coroem o ser humano por dentro...

O toque de recolher, em vista do COVID – 19, nos colocou numa situação de isolamento social. Situação esta que tem gerado muito medo e insegurança. Muitos chegam a uma situação de depressão, de tristeza e angústia quase insuportáveis.

Quais as armas que dispomos para enfrentar essa realidade deprimente? As conquistas científicas estão aí a nos indicar caminhos possíveis de superação. Todos os âmbitos da vida terão que se recompor. Espera-se o surgimento de uma “nova era” em termos de relações sociais, econômicas, políticas, culturais, espirituais, ecológicas.. Cabe a cada área dar a sua contribuição...

A espiritualidade e a fé tem um papel importante nessa hora. Pois, o jeito do ser humano conduzir sua vida, dia-a-dia, diz da sua espiritualidade e da sua fé, em Deus e na própria vida. Assim como o combustível que não vemos move o carro e nos faz “chegar lá”, onde desejamos, assim também podemos dizer ser a espiritualidade. Nós não a vemos, mas ela é o que nos move todos os dias, fazendo-nos ficar de pé nos caminhos da vida.

Teve uma época que a força física contava muito. O trabalho exigia muita força física. A maioria dos trabalhos era braçal. Atualmente, com a evolução da tecnologia a força física conta muito menos. As máquinas fazem quase tudo.  A força física já não é mais um requisito tão importante. Hoje a força mais necessária é a força interior, a força psicológica, a força emocional...

Dispomos de tantos recursos para cuidar do corpo, da saúde física e muito pouco para cuidar da força que vem de dentro...

Jesus foi um mestre de primeira qualidade em despertar a força interior das pessoas para que pudessem assumir a sua vida e levá-la com responsabilidade. “Teus pecados estão perdoados, vai em paz”. “Toma tua cama e anda” “Tua fé te curou”. “Quem tem fé dirá a esta montanha joga-te ao mar...”. Jesus conhece o potencial espiritual, afetivo e emocional que mora no interior de cada pessoa. Jesus provocou e provoca o despertar desse potencial.

A situação de QUARENTENA que estamos vivendo, cria um ambiente favorável para ajudar o ser humano a retomar essa potencialidade interior.

 

Por um lado tomamos consciência da fragilidade e vulnerabilidade das COISAS. Tudo se torna insignificante. As potências econômicas sucumbem diante de um inimigo tão pequenino... a arrogância se esvai... a prepotência se derrete como cera ao fogo... o potencial bélico já não conta mais... o CAPITAL perde seu valor... o status se torna um fator a mais de tristeza... E por aí vai a ladainha... Tudo, tudo se torna insignificante...

Por outro lado, sentimos despertar a importância da imunidade espiritual, emocional e afetiva. Exige-se nestes tempos muita força interior. E a importância do “VIAGRA” espiritual e emocional se torna indispensável. Retomar aquela energia que vem de dentro, despertar as potencialidades da alma e da mente. Daí a importância dos caminhos que nos levam a isso: silêncio, contemplação, meditação, recolhimento, oração...  Situações estas que ajudam para o cultivo da espiritualidade, o repensar valores, buscar novas atitudes. Resgatar a importância de espaços que favoreçam e protegem a vida, como o espaço familiar, os amigos presenciais e virtuais. Isolados, sim, mas não solitários. Dispomos hoje de tantos recursos que nos ajudam para isso. A solidão é péssima, o isolamento social em tempo de pandemia é ótimo.

O isolamento social nos fez tomar consciência do valor transcendental que pequenos gestos como, o abraço, o aperto de mão, a proximidade, o encontro, o grupo, a comunidade, o tempo para a leitura, o cheiro do outro... revolucionam a vida humana.

Nada acontece com um toque de mágica. Tudo exige esforço e tempo. A superação dessa pandemia exige empenho de todos. Certamente levará tempo. Uma coisa é certa, exige a cooperação e responsabilidade de todos. Demoramos nove meses para nascer... O tempo ainda se constitui no melhor remédio. Ensina-nos o livro do Eclesiástico que “há tempo para plantar e colher, para construir e destruir...” (Eclesiastes 3,1-9).

As coisas mudarão, a realidade social mudará, o mundo exterior se transformará passando por uma transformação interior do ser humano em termos de espiritualidade, sentimentos, emoções...

A nova realidade que surgir pós-pandemia deverá vir com as marcas da supremacia dos valores espirituais: amor, alegria, solidariedade, paz, paciência, misericórdia, mansidão, justiça,.. (Gálatas 5,22-26). Tudo isso inspirando uma nova ordem econômica, social, política, cultual e ecológica.

Dá-lhe VIAGRA! Uma boa dose de Viagra espiritual, emocional e afetivo poderá nos ajudar a passar por este “vale de lágrimas”. XÔ CORONA VIRUS!

Publicidade

Publicidade

Blog dos Colunistas