0°C
Erechim,RS
Previsão completa

Publicidade

Segurança

Seminário em Erechim debate causas, consequências e prevenção a acidentes de trânsito

Palestras iniciaram às 8h e se estenderam por toda a manhã.JPG
No RS ocorrem 14,4 mortes no trânsito a cada 100 mil habitantes.JPG
Por Alan Dias
Foto Alan Dias

Teve início nesta quarta-feira (18) a Semana Nacional de Trânsito e em Erechim a programação foi aberta com um seminário que reuniu autoridades do setor, dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, órgãos policiais e população em geral, para discutir temas como causas, consequências e prevenção a acidentes.

O evento, realizado no Anfiteatro do prédio 3 da Universidade Regional Integrada contou com palestras do prefeito Luiz Francisco Schmidt, do secretário de Obras, Vinícius Anziliero, da capitã da Brigada Militar, Paula Zill, do comandante do Pelotão Rodoviário de Erechim, sargento Sandro Lazzarin, do delegado de Polícia Civil, Germano Alves de Lima e do agente de trânsito, Fábio Fernando Lima Pichler.

O vereador Lucas Farina, representando o Legislativo, foi o primeiro a falar e destacou a importância do debate e o envolvimento dos edis, através da apresentação de demandas, para tentar melhorar o trânsito no município. Farina também parabenizou os setores de segurança pelo trabalho que desenvolvido de forma integrada, que tem alcançado bons resultados e se tornou exemplo para o Rio Grande do Sul e outros Estados.

Na sequência, o prefeito Schmidt disse que a Semana Nacional de Trânsito é acompanhada por um grande trabalho de conscientização, mas que também é preciso que as pessoas pensem melhor sobre como é o comportamento de cada um. Lembrou também das alterações no trânsito erexinense, que buscam maior fluidez e segurança, e citou a impaciência de alguns condutores.

Amanhã a programação segue com palestras socorristas, Corpo de Bombeiros e Força Voluntária do Alto Uruguai.

 

Implicações criminais em ocorrências de trânsito

A capitã da Brigada Militar, Paula Zill, abordou as implicações criminais que decorrem dos acidentes de trânsito e também sobre as principais causas detectadas nas ocorrências em Erechim. “Todos os crimes de trânsito, presume-se, serem culposos (sem intenção) e são três as modalidades de culpa: imprudência, negligência e imperícia. Conforme a implicação do acidente, será a atuação da Brigada Militar e depois haverá todo um inquérito e investigação, que será feita pela Polícia Civil”.

A policial relatou que se observa ainda que, geralmente, a culpa não é só de uma pessoa. “É um somatório. Às vezes, a falta de sinalização ou de iluminação pública, ou não tem faixa de segurança naquele local. E também, às vezes, culpa da vítima, que se colocou em uma situação de risco”.

Segundo a capitã, acidentes com lesões corporais abrangem grande parte dos atendimentos policiais no município. Outra situação bastante corriqueira envolve os condutores flagrados com CNH suspensa e fuga do local do acidente, ocorrências que costumam acontecer à noite e envolvem jovens. E nestes casos, não é raro que que outra pessoa se apresente no lugar do condutor. “O motorista foge, vai para casa, o pai ou a mãe ficam com pena e tentam assumir”.

 

Estatísticas de acidentalidade

O comandante do Pelotão Rodoviário de Erechim, sargento Sandro Lazzarin, falou sobre estatísticas de acidentalidade e fiscalização em rodovias. Segundo os dados apresentados, este ano, nas rodovias estaduais da região foram registrados 93 acidentes. Destes, 51 foram apenas com danos materiais, 33 resultaram em lesões corporais e em nove, foram registradas vítimas fatais, sendo que em 80% dos casos, a falha do condutor foi a causa, por ultrapassar em local proibido, estar acima do limite de velocidade ou estar embriagado. Entre janeiro e setembro deste ano, 10 condutores embriagados foram flagrados em acidentes.

Na região, a maioria dos acidentes com mortes, cerca de 88%, ocorreram no sábado e no domingo, enquanto 11% aconteceram durante a semana. “E 50% dos acidentes no domingo ocorreram entre às 7h e às 7h59min de domingo, ou seja, envolveram jovens que estavam voltando de festas. Então, nestes horários, passamos a colocar viaturas nos locais considerados mais críticos”.

O comandante citou ainda que vários acidentes envolvem condutores que moram em comunidades próximas às rodovias, no momento em que estão chegando em casa. “É a autoconfiança. Ele acha que conhece aquela área, para sobre a pista porque acha que não irá se envolver em acidente”.

 

Ele foi preso e o delegado soltou

O delegado de Polícia Civil, Germano Alves de Lima, palestrou sobre os delitos de trânsito. “Existe o crime doloso, quando a gente quis o resultado (dolo direto) e quando assumiu o risco (dolo eventual) e o crime culposo, quando ele não quis, não assumiu o risco, mas deu causa ao resultado, por negligência, por imprudência ou por imperícia. E o que é a imprudência? É a falta de cautela, o excesso de velocidade. E a negligência? É a inobservância de cuidados, por exemplo, o veículo sem freios, com os pneus gastos. A imperícia? A falta de aptidão técnica”, explicou.

O delegado citou artigo da legislação que diz “ao condutor de veículo automotor, nos casos de acidente de trânsito que resulte vítima, não se imporá prisão em flagrante, nem se exigirá fiança se prestar pronto e integral socorro a vítima”. Para Germano, o artigo é uma “espécie de recompensa para aquele indivíduo que envolvido em um acidente, tem o bom senso de parar e prestar socorro. Muito além de uma obrigação moral, é uma obrigação legal, e ele terá uma recompensa por conta disso. E muitas vezes, a imprensa e a sociedade, divulgam algo diferente: ele foi preso e o delegado soltou. Sempre esbarramos na lei”.

Aos presentes, o delegado contou ainda que o mais clássico crime de homicídio fútil é o que envolve briga de trânsito, e em caso de morte, será considerado homicídio qualificado, com pena de 12 a 30 anos, portanto, crime hediondo.

 

Minha escolha faz a diferença

O agente de trânsito Fábio Pichler falou que a primeira colisão no trânsito registrada em Erechim ocorreu em 1906 (estima o professor e historiador, Enori Chiaparini) quando havia apenas dois veículos na cidade e eles se chocaram em uma avenida com medidas largas. Lembrou também que no Brasil, os acidentes são a principal causa de morte, que atualmente Erechim possui quase 85.500 veículos e que no mês passado foram registrados 96 acidentes na área urbana da cidade.

Entre as autuações mais frequentes aplicadas pela Diretoria de Trânsito estão o uso irregular das vagas no estacionamento rotativo, caminhões transitando em horários e locais proibidos e com peso acima do permitido, e uso de celular ao volante.

“Trânsito deveria ser uma matéria da grade curricular, começar a ser ensinado lá na quinta série. O veículo é uma máquina, não sai por aí matando, atropelando, passando sinal vermelho. Depende de alguém para conduzi-lo, e somos nós que o fazemos. Então, o trânsito é comportamento, atitudes morais, nossos valores”.

Publicidade

Blog dos Colunistas