0°C
Erechim,RS
Previsão completa

Publicidade

Geral

‘É muito bom saber que somos queridos’

Declaração é de Vilma Fátima Giacomelli, que recebeu o carinho de parentes durante a ‘Visita Humanizada’ da UTI Adulto do HC

UTI
Por Assessoria de Comunicação
Foto Divulgação

A estrutura recém-inaugurada e os aparatos tecnológicos de ponta podem ser novos, mas o compromisso com a excelência do tratamento prestado pelos profissionais da UTI Adulto do Hospital de Caridade de Erechim é uma tradição que acompanha a casa de saúde há décadas.

Para seguir aperfeiçoando o cuidado, o HC mantém um Grupo de Acolhimento a Familiares de Pacientes da UTI, perspectiva da qual faz parte a ‘Visita Humanizada’ - quando uma psicóloga do Hospital e a coordenadora da UTI recebem todas as quartas-feiras, das 15h às 16h, parentes dos pacientes internados. Na ocasião, antes de compartilharem momentos com seus entes queridos na própria Unidade de Tratamento Intensivo, os visitantes são orientados a respeito da cultura de atendimento do HC, tanto sob o aspecto técnico, com a presença, inclusive, de enfermeiras que estão disponíveis para tirar quaisquer dúvidas, quanto psicológico.

 

‘Uma benção’

Uma das pacientes que aprova a ‘Visita Humanizada’ é Dona Vilma Fátima Giacomelli, 57, de Barão de Cotegipe – que na última semana pode ficar por mais tempo com seu marido, Geonir Giacomelli. ‘Foi uma benção. Ficar mais tempo com eles me dá forças. É muito bom saber que somos queridos e bem cuidados’, analisa Dona Vilma – que recebeu até a visita de um sobrinho distante, o que ela não esperava.

Conforme a psicóloga do HC, Carina Balvedi Leandro, no processo de humanização, a prioridade é o paciente enquanto pessoa humana. ‘A relação entre profissionais de saúde e paciente deve valorizar a individualidade de todos os envolvidos. É isso o que procuramos fazer aqui. O Grupo Familiar, a partir da visita guiada, tem finalidade psicoterapêutica, de apoio e suporte psicológico, muito além das informações específicas da UTI e seu funcionamento’, pontua a profissional.

O conceito é reforçado pela coordenadora da UTI Adulto do HC, Maritânia Wittzinski. Segundo ela, o cuidado é de extrema importância e beneficia o processo de recuperação do paciente.

Nos dias dos grupos familiares, as pessoas internadas recebem até quatro visitas, uma a mais do que durante os dias de visitação normal, que acontecem em três horários durante a semana (12h15min às 12h45min; 16h30min às 17h; e 20h30min às 21h) e em dois horários nos fins de semana (12h15min às 12h45min e 16h30min às 17h).

 

Novas melhorias

Com a inauguração da nova UTI Adulto, em maio, o Hospital passou a implantar, também, o Processo de Enfermagem, que tem como foco a qualidade assistencial. Entre as ações previstas para que o serviço avance, está a atualização de determinadas diretrizes, como a orientação aos familiares para realizarem menos telefones à UTI – o que, pela quantidade (até cinco vezes num só turno), atrapalha o trabalho dos enfermeiros, colocando em risco, em alguns casos, o atendimento aos próprios pacientes. 

A orientação do HC é de que o familiar responsável se dirija à instituição a fim de esclarecer eventuais dúvidas, quando as tiver. Fora isso, quaisquer alterações significativas do quadro de saúde do paciente seguirão sendo comunicadas diretamente pelo Hospital.

Leia também

Publicidade

Blog dos Colunistas