0°C
Erechim,RS
Previsão completa

Publicidade

Geral

Secretário de Desenvolvimento apresenta as políticas para o desenvolvimento do Estado na Accie

Ruy Irigaray falou para empresários e lideranças políticas no Polo de Cultura

Presidente da ACCIE, Fábio Vendruscolo, falou que entidade está sempre aberta para temas que envolve
Por Assessoria de Comunicação
Foto Divulgação

O secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Ruy Irigaray, esteve na noite desta quarta-feira, 17, falando a empresários no Polo de Cultura da Accie, em Erechim. Irigaray apresentou as políticas para o desenvolvimento do Rio Grande do Sul e falou sobre as ações promovidas pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo – Sedetur, para facilitar novos investimentos no Rio Grande do Sul. Além de empresários locais, também participaram da palestra o prefeito de Erechim, Luiz Francisco Schmidt, secretários municipais e vereadores. O presidente da ACCIE, Fábio Vendruscolo, foi o anfitrião do evento.

Ruy Irigaray estava acompanhado pelo procurador do Estado Rodinei Candeia, que desde junho ocupa o cargo de procurador na Secretaria de Desenvolvimento; pelo Diretor de Turismo do Estado do RS, Alexandre Romano; pela presidente do Badesul, Janete Lontra; pelo gerente da Agência do BRDE, Alexander Nunes; pelo presidente da Junta Comercial do Estado do Rio Grande do Sul, Flávio Koch; entre outros.

Irigaray disse que está realizando alterações na estrutura da Sedetur, com foco na desburocratização e eficiência, buscando agilizar e facilitar a vida dos investidores que pretendem ancorar os seus negócios no Rio Grande do Sul. “O Estado deve ser um facilitador e desburocratizador da máquina pública, a fim de auxiliar os investimentos da iniciativa privada”, destacou o secretário. Ele falou sobre a interiorização que a Secretaria está promovendo para conhecer a realidade do Estado. Sua meta é colocar o desenvolvimento econômico como prioridade de Estado e não de Governo.

O secretário da Sedetur disse que o Interior do estado tem sido foco de sua atuação, onde tem viajado constantemente para mostrar o que a Secretaria e os bancos de fomento podem oferecer, para o pequeno e médio empresário, na ampliação de seus negócios e na criação de novos empregos. Segundo ele, o objetivo é absorver as demandas regionais, principalmente com relação ao incremento do turismo. Porém, para isso, é necessário planejamento. Ele também falou que o Estado não tem dinheiro, mas os bancos de fomento podem auxiliar os pequenos empreendedores com juros baixos, pagamento prolongado e carência de dois anos.

 

ESTADO TEM QUE SER FACILITADOR DE QUEM QUER INVESTIR

Os planos de Desenvolvimento e do turismo apresentados pelo secretário estão distribuídos em três programas:  InvestRS, RS Competitivo, e Mais RS Turismo. Uma das metas da Secretaria é atrair investidores que buscam oportunidades no Brasil e na América do Sul, enfatizando as vantagens de investir no Rio Grande do Sul e apoiar a internacionalização das empresas gaúchas, trabalho articulado entre Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Farsul, Fecomércio, Federasul, Sebrae, Badesul e BRDE. Ele destacou a importância da ida de missões, integradas por empresários e agentes do governo ao exterior, para poder mostrar o que o estado pode oferecer em termos de qualidade de mão de obra e de infraestrutura para a instalação de novas empresas aqui. Relatou sobre a recente visita ao Chile, onde foi possível falar com representantes de empresas com potencial importante para investir no Estado.

Ruy Irigaray apresentou os setores estratégicos para investir no Rio Grande do Sul que são: agronegócios – proteína animal e grãos; têxtil, couro e calçados; móveis e madeira; metal mecânico – automotivo e autopeças; energias renováveis – eólica, fotovoltaica e biocombustíveis; saúde avançada – tecnologias para a saúde; e startups – tecnologia da informação.

O RS Fomento Financeiro compreende microcrédito, fomento financeiro, garantias complementares, assistência direta (mentoria) para a melhoria da gestão das empresas com abrangência em todas as empresas do RS. O acesso ao programa é através de bancos, cooperativas de créditos, instituições de microcrédito, sociedade garantidoras de crédito, prefeituas, CDLs, ACIs, Emater, FGTAS, Sistema S, etc.

O Programa +Turismo RS surgiu de uma parceria entre Sedetur, MTUR, Bndes, Badesul, Brde e Sebrae. Trata-se de levar ao conhecimento do ente público e investidores privados, atrelados ao turismo, linhas de crédito dos bancos de fomento, com juros facilitados que vão de 7% a 10% ao ano, com até 20 anos para pagar, com carência de até quatro anos, em conformidade com plano de trabalho.

Segundo Ruy Irigaray, a proposta é iniciar, a partir de agosto, com foco no mapa do turismo Regional, o itinerante +Turismo RS, juntamente com a equipe técnica da Secretaria e os parceiros envolvidos no programa. Serão 27 encontros contemplando todos os 371 municípios inscritos, apresentando o programa. Segundo ele, o objetivo é focar na estruturação dos destinos turísticos, com linhas de financiamento específicas para o turismo, abrangendo ações de infraestrutura e equipamentos urbanos; infraestrutura de acesso e de mobilidade; terminais rodoviários, ferroviários aeroviários e fluviais; edificações de uso público destinados às atividades indutoras de turismo; restaurações de edifícios; e elaboração de projetos de infraestrutura. As propostas serão analisadas pela equipe técnica do Badesul.

Publicidade

Publicidade

Blog dos Colunistas