0°C
Erechim,RS
Previsão completa

Publicidade

Geral

Hábitos simples podem amenizar o impacto na conta de luz durante o inverno

dicas
Por Assessoria de Imprensa
Foto Divulgação

O inverno, estação mais fria do ano, já começou e, com ele entram em cena os vilões de consumo de energia elétrica: chuveiros, aquecedores, secadoras de roupas e ferros de passar. Juntos esses eletrodomésticos podem ser responsáveis por um aumento significativo na conta de luz durante o período. Por isso, o uso consciente dos equipamentos será ainda mais importante nos próximos meses.

Um dos principais responsáveis pelos gastos de energia e de água no frio é o chuveiro elétrico. Ao utilizá-lo no modo "inverno", o acréscimo no consumo é de até 30% em relação ao modo "verão". O banho passa a ser responsável por 25% a 35% dos gastos na conta de luz nos meses mais gelados. Para economizar, o correto é reduzir ao máximo tempo do banho. Dessa forma, o cliente consegue reduzir, além da energia, o consumo de água. Um banho de 15 minutos utiliza aproximadamente 135 litros de água. Se o cliente fechar o registro ao se ensaboar, o consumo do líquido cai cerca de 45 litros - uma significativa economia de 33%.

Com a chegada dos dias mais frios, o uso das secadoras cresce. O aparelho consome entre 120 a 150 kWh por mês, quando utilizado uma vez por dia. O frio também contribui para que se use mais a lavadora, que consome mensalmente de 3,15 a 6,30 kWh, 5% do consumo total de uma residência, quando ligada duas vezes por semana. Já o ferro de passar roupa, quando ligado por 1 uma hora durante doze dias, pode representar 12kWh no final do mês. A dica aqui é procurar acumular roupa para lavar e secar tudo de uma única vez. Esse conselho também vale para quando for usar o ferro elétrico.

Outros eletrodomésticos que merecem total atenção na hora de consumir energia de forma consciente e econômica são: refrigeradores, que representam aproximadamente 80 kWh mês, ou 30% do consumo de uma casa, a iluminação, responsável por 20% do total e o aparelho de televisão, com 10%. "A mudança de hábito dos consumidores é a melhor forma de preservação de recursos naturais. A busca pela eficiência energética é essencial para obter os melhores resultados ambientais e financeiros - no consumo da energia nos equipamentos e, consequentemente, no valor da conta que chega ao final do mês", afirma Felipe Henrique Zaia, gerente de Eficiência Energética da RGE.

Algumas medidas podem ser tomadas para reduzir o uso de aparelhos elétricos, promover a sustentabilidade e ainda economizar na conta de luz. A companhia recomenda que o consumidor adote hábitos mais sustentáveis em relação ao uso dos eletrodomésticos.

Publicidade

Blog dos Colunistas