22°C
Erechim,RS
Previsão completa
Euro R$ 4,43 Dólar R$ 3,93
22°C
Erechim,RS
Previsão completa
Euro R$ 4,00 Dólar R$ 3,00

Publicidade

Rural

Arroz apresenta adequado desenvolvimento e condição fitossanitária boa

Arroz
Por Assessoria de Imprensa
Foto Divulgação

Para a cultura do arroz, predomina no Estado a fase de desenvolvimento vegetativo com 68% das lavouras e 25% em floração. A cultura apresenta desenvolvimento normal e adequado, além de condição fitossanitária boa. De acordo com o Informativo Conjuntural divulgado pela Emater/RS-Ascar, nesta quinta-feira (17), as lavouras mostram um bom stand de plantas e o vigor também é considerado bom. As lavouras estão sendo manejadas com adubação em cobertura e irrigação, com aplicação de herbicidas pós-emergentes e fungicidas, bem como a segunda aplicação de cobertura com nitrogênio.

Nas regiões da Campanha e Fronteira Oeste, principalmente, o clima da última semana com chuvas intensas provocou alagamentos e enchentes em vários municípios da região. Decretaram situação de emergência os municípios de Alegrete, Bagé, Dom Pedrito, Lavras Do Sul, Quaraí, Rosário do Sul, São Gabriel e Uruguaiana. Os estragos na infraestrutura se deu em estradas, boeiros, pontilhões e pontes, além de perdas na agropecuária. Muitas lavouras de arroz e soja estão submersas, levando o setor a avaliar e quantificar perdas ocasionadas pelas enchentes. Em Maçambará, 10% do total da área de arroz plantada, de 16 milhectares, está submerso. Em Manoel Viana, são em torno de 500 hectares e, em Uruguaiana, cerca de 6 mil hectares.

A cultura do milho no Estado está principalmente no estádio de enchimento de grãos, variando nas regiões, onde na região da Produção, a gramínea em sua maioria encontra-se na fase da formação de enchimento de grãos. Já nas áreas próximas ao Rio Uruguai houve início da colheita, mas avançou pouco na semana em função das chuvas. O bom desenvolvimento da cultura tem resultado em boa produtividade inicial, com expectativa de 8,4 mil kg/ha na região. O milho destinado para silagem apresenta oscilação no rendimento. No município de Catuípe, medições realizadas mostraram as grandes diferenças entre lavouras, variando entre 25 e 70 t/ha, principalmente por fatores como fertilidade do solo, adubação, variedade e densidade. O milho safrinha está sendo implantado no Estado, principalmente em áreas que tiveram colheita da cultura do fumo e do feijão 1ª safra.

O clima com chuvas generalizadas no período, associado às altas temperaturas, proporcionaram um bom crescimento e desenvolvimento da soja. O crescimento rápido preencheu os espaços em áreas que ficaram com baixa densidade, finalizando, assim, as pulverizações de herbicidas em pós-emergência para controle de ervas daninhas. No geral, o desenvolvimento está normal. No entanto, na região da Produção, os problemas no plantio apresentam um atraso no desenvolvimento das lavouras, comparado aos anos de normalidade na instalação da cultura. Quanto aos estádios fenológicos da soja, a maior parte das lavouras do Estado está em desenvolvimento vegetativo, 35% das áreas está em floração e 12% em início da granação. Os tratos culturais com fungicida foram intensos, visando prevenir a ocorrência de doenças, especialmente da ferrugem asiática, devido a constatação de focos no Estado. A entrada em algumas lavouras foi dificultada pela alta umidade. Essa atividade de aplicação fungicida deverá seguir pelos próximos 45 dias, variando entre lavouras e nos intervalos recomendados entre uma aplicação e outra, acarretando um aumento de aplicações de fungicidas nesta safra. Em relação aos ataques do tamanduá da soja e de lagartas, estes diminuíram em relação à semana anterior, embora com algumas aplicações de inseticidas. Cultivares de soja superprecoces de ciclo indeterminado serão colhidos em final de janeiro, possibilitando o plantio de safrinha

A colheita do feijão 1ª safra está se encaminhando para o final, com 42% da área estimada para o Estado colhida. Está finalizada nas regiões do Norte do Estado e em outras se encaminha para o final. No geral, a safra obteve produtividade boa, com exceção nas regiões do Rio da Várzea e do Médio Alto Uruguai, onde, em função de chuvas excessivas no momento da floração, a produtividade totalizou uma tonelada por hectare. Áreas novas estão sendo implantadas, representando 20% das áreas em germinação e desenvolvimento vegetativo. Na Fronteira Noroeste e Missões, as últimas chuvas estão beneficiando o plantio das lavouras de safrinha, propiciando uma boa germinação e um bom desenvolvimento vegetativo.

Leia também

Publicidade

Blog dos Colunistas