22°C
Erechim,RS
Previsão completa
Euro R$ 4,37 Dólar R$ 3,84
22°C
Erechim,RS
Previsão completa
Euro R$ 4,37 Dólar R$ 3,84

Publicidade

Rural

Emater/RS-Ascar adere ao movimento Eles Por Elas

Eles por Elas.JPG
Por Assessoria de Imprensa
Foto Divulgação

Na tarde de segunda-feira (10), a Diretoria da Emater/RS recebeu o deputado estadual Edegar Pretto e assessores para assinar a adesão ao movimento mundial Eles Por Elas, ou He for She. A iniciativa é da ONU Mulheres, entidade das Nações Unidas para a Igualdade de Gênero e o Empoderamento das Mulheres. Pretto coordena o comitê local do movimento e é criador e coordenador da Frente Parlamentar dos Homens pelo Fim da Violência Contra as Mulheres da Assembleia Legislativa gaúcha. A assinatura foi acompanhada por extensionistas da Emater/RS-Ascar e por representantes da Associação dos Extensionistas Sociais da Instituição e do Semapi.

“Reconheço a importância desse gesto da Direção da Emater em aderir a esse movimento mundial, lançado pela ONU em 2014 e que aos poucos e com coragem levanta a bandeira da igualdade”, afirma Pretto, ao ressaltar o trabalho dos extensionistas, que convivem com as famílias rurais e, nesse compromisso, podem ajudar a tirar as mulheres da violência.

Para o presidente da Emater/RS, Iberê de Mesquita Orsi, participar desse movimento é fundamental para a Emater/RS-Ascar, pois vai provocar a reflexão sobre esse problema cultural, ainda enraizado na sociedade. “É muito importante fazer com que as legislações sejam aplicadas”, defende Orsi.

A diretora Administrativa da Emater/RS, Silvana Dalmas, anunciou que a Instituição tem muitas formas e maneiras para contribuir com o movimento. “Somando as diferenças que temos, é preciso permitir e incentivar que as mulheres ocupem espaços, mas também fortalecer a mulher internamente”, sugestão defendida pela representante da Aers, a extensionista social Vera Carvalho, e os demais extensionistas.

Ao final do encontro, foi definida a criação de um Grupo de Trabalho, através de portaria, que vai criar um plano de ação a ser lançado ainda neste mês pela Emater/RS-Ascar.

 

MOVIMENTO NO RS

O Rio Grande do Sul foi o primeiro estado a aderir ao movimento mundial Eles por Elas, em setembro de 2015, e a Assembleia Legislativa é o primeiro e até aqui único parlamento brasileiro a ter uma frente parlamentar voltada à não violência contra as mulheres. Já em relação às câmaras de vereadores do Estado, há mais de 60 adesões.

De acordo com dados da Secretaria de Segurança Pública do RS, em balanço feito pelo Comitê Gaúcho ElesPorElas, da ONU Mulheres, nos últimos quatro anos o RS registrou o assassinato de 356 mulheres, vítimas de feminicídio. A média é uma mulher morta a cada quatro dias em crimes cometidos por parceiro ou ex-parceiro. No mesmo período foram registrados 6.149 estupros, média de quatro por dia. Já o número de agressões com lesão no período foi de 87.480, média de 59 mulheres por dia.

O Movimento mundial da ONU Mulheres, Eles por Elas (HeForShe) é um esforço global criado em 2014 para difundir a conscientização e promover a responsabilidade de homens e meninos para a eliminação de todas as formas de discriminação e da violência contra as mulheres e meninas. O Comitê Gaúcho ElesPorElas é liderado pela ONU Mulheres Brasil e coordenado pelo deputado estadual Edegar Pretto.

O Comitê Gaúcho é composto por 42 membros e reúne representantes de empresas, universidades, instituições públicas, artistas e clubes da dupla GreNal. “Em todo mundo, 1,9 milhão de pessoas assinaram o termo de compromisso global pelo fim da violência contra mulheres. Um número que precisa aumentar para impulsionar a redução do machismo e do número de vítimas no mundo”, ressalta o deputado.

 

DATAS

Nesta data de 10 de dezembro, quando a Declaração dos Direitos Humanos completa 70 anos, o RS encerra 16 dias de ativismo, cuja campanha iniciou no dia 25 de novembro, data do assassinato das irmãs Mirabal, nos anos 1960 pela polícia secreta da República Dominicana, que se converteu em símbolo da luta da mulher e fez com que a ONU declarasse o 25 de novembro como o Dia Internacional da Não-Violência Contra a Mulher‎. Além disso, o dia 6 de dezembro foi oficializado como Dia Nacional de Mobilização dos Homens pelo Fim da Violência contra as Mulheres, data que remete a um caso de violência contra as mulheres no Canadá que chocou o mundo.

Leia também

Publicidade

Blog dos Colunistas