14°C
Erechim,RS
Previsão completa
0°C
Erechim,RS
Previsão completa

Publicidade

Saúde

infertilidade.jpg

Infertilidade masculina: principais causas e tratamentos

Por Assessoria de imprensa
Foto Divulgação

Junho é reconhecido como o mês mundial da conscientização sobre a infertilidade, campanha que tem como objetivo alertar a população sobre o problema, que pode ser ocasionado por inúmeros motivos. O que talvez nem todos saibam é que a infertilidade não acomete com mais frequência as mulheres do que os homens. Ambos contribuem igualmente para os casos. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a infertilidade é caracterizada pela impossibilidade de conseguir uma gravidez após pelo menos um ano de relações sexuais regulares sem o uso de métodos contraceptivos.

Enquanto, nas mulheres, as doenças nas trompas, endometriose, problemas hormonais e a idade são algumas das principais causas da infertilidade, no homem a causa mais comum é a varicocele - doença que causa a dilatação dos vasos venosos responsáveis por drenar o sangue que chega aos testículos.

O médico ginecologista, Marcos Sampaio, explica que a infertilidade masculina é frequentemente definida pela existência de alterações nos parâmetros seminais diagnosticadas por meio de um exame de espermograma. “Apesar do espermograma ser o exame disponível mais utilizado na prática clínica, os parâmetros seminais avaliados possuem limitações relacionadas à etiologia da disfunção espermática assim como na determinação da sua capacidade de fertilização”, esclarece.

Outras causas da infertilidade masculina

É muito comum a infertilidade masculina ser causada por oligozoospermia ou azoospermia (pouca quantidade ou ausência completa de espermatozoides no sêmen). Porém, essas são condições assintomáticas. Por isso, normalmente, a suspeita surge após o insucesso em engravidar a parceira. Além disso, algumas infecções genitais podem ser tão fortes que comprometem o sistema reprodutor do homem.

Mas, segundo Sampaio, outras doenças e condições que causam a infertilidade masculina, no entanto, podem apresentar sintomas, aos quais todo homem deve ficar atento. O médico destaca os principais: “Veias visíveis na região dos testículos, que é um sintoma de varicocele; assimetria no tamanho dos testículos, que também pode ser um sinal de varicocele; dor e sensibilidade nos testículos, um sintoma comum da epididimite (inflamação nos epidídimos, pequenos canais que armazenam e transportam os espermatozoides); dor, vermelhidão e/ou inchaço no escroto, que também podem também ser sintomas de epididimite e, ainda, sangue na urina e/ou no sêmen, ardência e dor ao urinar, secreção no pênis, vontade frequente de urinar, dor na relação sexual ou durante a ejaculação”.

O médico destaca, ainda, que sintomas urinários, como dor ou dificuldade na micção, podem indicar prostatite, que é inflamação na próstata, enquanto a ejaculação e/ou urina com sangue podem indicar orquite. “São sinais de alerta, de que o homem deve procurar ajuda médica, assim como a ausência de ejaculação”, pontua.

Reprodução assistida

De acordo com a causa da infertilidade masculina, o médico pode indicar o tratamento mais adequado, que pode ser clínico ou cirúrgico. Quando nenhuma dessas duas terapêuticas resulta na restauração da fertilidade, ou quando elas não são possíveis, existe, ainda, a possibilidade de recorrer às técnicas de reprodução assistida.

Nos casos de infertilidade masculina, é mais comum que a indicação seja a de realizar uma fertilização in vitro (FIV). “Essa é a técnica de reprodução assistida mais complexa que existe hoje, pois a fertilização é realizada em laboratório com os gametas coletados do casal. Isso torna o tratamento altamente especializado e proporciona as melhores taxas de sucesso”.

A manipulação dos gametas em laboratório permite que sejam utilizadas técnicas complementares, bastante importantes em caso de infertilidade masculina. “Entre essas técnicas complementares está a injeção intracitoplasmática de espermatozoide (ICSI), na qual um único gameta masculino é injetado dentro de um óvulo, favorecendo a fecundação. Além disso, em casos de azoospermia, é possível utilizar técnicas que extraem os espermatozoides diretamente dos testículos ou dos epidídimos”, explicou o médico, que completou: “antes de iniciar qualquer tratamento, porém, é fundamental investigar a causa da infertilidade, para que seja indicada a técnica mais adequada para o seu caso. Para isso, o homem deve estar sempre atento aos sintomas que podem indicar infertilidade masculina”.