6°C
Erechim,RS
Previsão completa
Euro R$ 6,09 Dólar R$ 5,39
0°C
Erechim,RS
Previsão completa
Euro R$ 6,09 Dólar R$ 5,39

Publicidade

Economia

Imposto de Renda: tecnologias como suporte especial no trabalho de contabilistas

A erechinense, integrante da diretoria do Conselho Regional de Contabilidade, Belonice Sotoriva, reforça o alerta dos contribuintes para que não percam o prazo das declarações, o qual encerra na terça-feira (30)

Contabilista.jpg
Por Izabel Seehaber
Foto Divulgação

Na próxima terça-feira (30), encerra-se o prazo para entrega da declaração do Imposto de Renda (IR) Pessoa Física 2020. A multa pelo atraso de entrega da declaração é de no mínimo R$ 165,74, podendo chegar a até 20% do imposto devido.

A erechinense, integrante da diretoria do Conselho Regional de Contabilidade, Belonice Sotoriva, reforça o alerta dos contribuintes para que não percam o prazo das declarações e evitem problemas. “Faltam somente quatro dias para encerrar o prazo que não será mais prorrogado. É muito importante que todos cumpram com a sua obrigação, façam a destinação do Imposto de Renda, porque é uma possibilidade de deixar o dinheiro no próprio município”, destaca.

Pandemia e os diferenciais na rotina de trabalho

Conforme Belonice, a primeira diferença desse ano foi a prorrogação do prazo para entrega das declarações. Isso deixou as pessoas mais tranquilas, contudo, ela afirma que muitas ainda deixaram para a última hora. “Por isso, a “corrida” para encaminhar os papéis até os escritórios de contabilidade está intensa, com outro diferencial que neste ano não estão ocorrendo atendimentos presenciais. No meu caso, por exemplo, fazia a declaração do IR com o contribuinte na minha frente, para que ele verificasse cada lançamento ou alteração no patrimônio, nas receitas e todos os outros dados. Para isso foi colocada uma tela do outro lado da mesa, onde o cliente observava tudo o que está sendo feito”, explica.

Nesse ano, algo que mudou é que os documentos são encaminhados de forma on-line e, no máximo, ele só entra no escritório para fazer esse acompanhamento. “Estamos fazendo muito uso de ferramentas como What’s App, e-mail. Enviamos para análise e depois nos retorna. Faço declarações de pessoas de outras cidades e as tecnologias facilitam muito. Somos muito gratos, pois, sem elas, não haveria como fazer o trabalho”, ressalta.

Cuidados redobrados

Ao mesmo tempo, a contabilista afirma que o distanciamento também gerou novos desafios diante do fato de que são informações muito pessoais e que precisam ser encaminhadas de modo on-line. “Devemos sempre conferir ainda mais os dados com os clientes e auxiliá-lo a não esquecer de acrescentar nenhuma movimentação que tenha sido feita no ano”, pontua.

Organização permanente

Belonice enfatiza que sempre orienta os clientes e dispõe de um espaço para armazenar as informações. “O ideal é se antecipar e organizar tudo durante o ano. Isso é muito importante para evitar preocupações na última hora. Do mesmo modo, agora percebe-se, em alguns casos, erros cometidos e que podem levar a juros. Sendo assim, se torna fundamental uma rotina permanente de cuidados para que o momento da declaração seja de mais tranquilidade”, salienta.

Fique atento!

O Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis e das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas do Estado do Rio Grande do Sul (Sescon-RS) enumera os principais pontos que devem ser observados pelos contribuintes:

Contribuintes obrigados a entregarem Imposto de Renda 2020:

•             Aqueles que receberam rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 no ano de 2019;

•             Rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte acima de R$ 40 mil no ano de 2019 (saque FGTS, prêmio loterias, entre outros);

•             Tiveram, em 31 de dezembro de 2019, a posse de bens e direitos superiores a R$ 300 mil;

•             Realizaram operações na bolsa de valores ou obtiveram ganho de capital na venda de bens móveis ou imóveis durante o ano de 2019.

* Ao informar os dados para bancos, preencher as informações como: CNPJ, agência e conta corrente. Assim, criando um cadastramento prévio para demais informações da declaração que necessitem destes dados, como na hora de definir a conta corrente para débito do pagamento ou restituição do imposto (somente para bancos autorizados).

* Foi criada uma ficha para doações diretamente na Declaração aos fundos (Funcriança e Fundo do Idoso), sendo o percentual de 3% para cada fundo, com a novidade de o programa da declaração sugerir automaticamente o valor, sempre observando o limite geral de 6%.

Leia também

Publicidade

Blog dos Colunistas