22°C
Erechim,RS
Previsão completa
Euro R$ 4,64 Dólar R$ 4,20
0°C
Erechim,RS
Previsão completa
Euro R$ 4,64 Dólar R$ 4,20

Publicidade

Tecnologia

Carreira de desenvolvedor de games está entre as mais procuradas do mercado

Mesmo com os altos índices de desemprego no país, mercado brasileiro de games está aquecido e procura por profissionais

games
Por Assessoria de Imprensa
Foto Divulgação

Toda criança que já foi apaixonada por algum jogo do videogame, já se imaginou vivendo naquele mundo virtual. E se fosse possível modificar ou melhorar aquele jogo que você sempre amou? E se pudesse inventar do zero o seu próprio jogo? Tudo isso é possível para os desenvolvedores de games, um nicho que prospera em tendência oposta à crise que assola o país. Em oito anos, o número de empresas desenvolvedoras de esports, ou jogos eletrônicos,  aumentou quase 600% e o faturamento do setor no país cresceu 25% entre 2014 e 2016.

A produção de games cresce cada vez mais no país. Segundo dados da Associação Brasileira dos Desenvolvedores de Jogos Digitais (Abragames), hoje, existem aproximadamente 300 empresas de games no Brasil. O faturamento mundial do mercado de jogos digitais já chega ao patamar de R$ 137,9 bilhões, de acordo com a Newzoo.

É no embalo deste crescimento que a profissão de desenvolvedor de games começa a ganhar destaque no mercado de trabalho. A procura por profissionais dessa categoria tende a crescer muito, o que também acaba impulsionando o mercado de cursos de capacitação. Para se transformar em um profissional da área, é preciso investir na carreira. Conhecimentos nas áreas de programação e design para games são favoráveis, mas não é só isso. A área de desenvolvimento de games é muito mais ampla que isso – e não se parece em nada com uma brincadeira.

Como ser um desenvolvedor de games

Com o mercado aquecido, as maiores empresas da área estão à procura de profissionais qualificados. Para ingressar na profissão, o primeiro passo é se informar e buscar ferramentas gratuitas para os primeiros testes. Buscar uma boa escola de programação vai encurtar o caminho. Investir em um curso tecnólogo voltado para a criação de games que seja reconhecido pelo mercado vai ajudar o novo desenvolvedor na hora de procurar emprego.

O futuro profissional deve aprender toda a teoria por trás da criação de games, como também a habilidade de atuar na área. Normalmente a duração dos cursos é de apenas dois anos. Depois de formado, o novo desenvolvedor profissional ainda poderá escolher investir em uma pós-graduação, ampliando ainda mais seu conhecimento na área e dando mais peso ao seu currículo. Investir em uma especialização, como exemplo, em tecnologia 3D, o ajudará a conquistar uma vaga nos melhores estúdios.

Para antes de se candidatar a uma vaga de emprego, especialistas indicam um investimento em projetos próprios, para ter o que mostrar como portfólio. Além do fato de a prática ser a melhor professora, essa experiência pode ajudar a vencer uma seleção.

Outra exigência para se tornar um desenvolvedor de games é saber trabalhar em equipe. Apesar de o trabalho envolver diretamente os computadores, saber trabalhar em prol de um time é fundamental. É extremamente difícil e improdutivo criar um jogo do começo ao fim sozinho. Uma relação saudável com os seus colegas de trabalho pode gerar muitos bons frutos no futuro, além da troca de experiências.

Saber inglês é algo obrigatório, já que a maioria dos jogos e suas ferramentas têm como base a língua mais falada do mundo. A maioria dos materiais para estudo também estão em inglês. Ter dinamismo para buscar soluções diferentes e entender de programação são outros pontos que darão vantagem ao futuro profissional.

Conheça as possíveis funções do desenvolvedor de games

A profissão de desenvolvedor de games possui diversas funções que precisam ser realizadas dentro de uma empresa. Cada profissional é responsável por uma etapa na cadeia de criação de um jogo. As possibilidades são imensas e contemplam não só engenheiros de software e programadores, mas até mesmo arquitetos e músicos.

O apaixonado por jogos eletrônicos pode vir a ser um produtor, um artista gráfico, um designer, compositor, engenheiro de som, programador, testador ou até mesmo um jogador de teste. Esta última função parece fácil, mas o nível de exigência na atenção aos detalhes é quase sobre-humano, tornando o posto alcançável para poucos.

Segundo o site Love Mondays, especializado em profissões, o salário inicial de um desenvolvedor de games no Brasil é de R$ 1.974, podendo variar até R$ 3.000. Este valor vai depender da função que o profissional exercerá e a empresa em que trabalhará. Como em qualquer outra profissão, ser constante e ter uma sequência de bons trabalhos e a consequente experiência, vão elevar o patamar da carreira do profissional em questão. Morar fora do Brasil também é uma possibilidade grande para profissionais dessa área. Apesar do crescente mercado no país, as melhores oportunidades ainda estão lá fora, e são plenamente alcançáveis aos desenvolvedores mais dedicados.

Leia também

Publicidade

Blog dos Colunistas