0°C
Erechim,RS
Previsão completa

Publicidade

Economia

Evento movimenta R$ 25,9 milhões, dizem organizadores

Por Salus Loch
Foto Salus Loch

"O evento superou as expectativas". Essa foi a avaliação dos promotores do Feirão de Imóveis 2019, durante coletiva na manhã de ontem (21): Associação dos Corretores de Imóveis de Erechim (Acime), representada pelo presidente Ronei Pereira; Sindicato da Construção e do Mobiliário de Erechim (Sinduscon), representada pelo presidente Cézar Carlotto; e secretaria de Desenvolvimento Econômico, por meio de seu titular, Altemir Barp.

No total, a estimativa de negócios gerados é de R$ 25.925.000 entre as vendas de imóveis realizadas (R$ 1.953.000) e as prospectadas (R$ 23.450.000), além de comercialização ou prospeção de produtos diversos, como aquecedores e elétricos, que somam R$ 522.000.

Em relação ao ano passado, o salto foi de 12% nas vendas consumadas e 23,5% dos negócios 'futuros' - sendo que, deste universo, 90% devem se confirmar, de acordo com Ronei Pereira.

 

'Compra consciente'

O evento, realizado no último fim de semana, mostrou um consumidor (potencial) ciente do que estava procurando - o que representou razoável taxa de conversão, considerando o público que passou pelos pavilhões da antiga Ema, na Avenida Sete de Setembro. "O perfil do consumidor erechinense é conservador. Ele se movimenta de forma pensada e não gosta de arriscar. Esta é a realidade do mercado. E foi isso que vimos, também, no Feirão", observa Carlotto, do Sinduscon.

 

Curiosidades

# Cerca de 75% dos negócios fechados no Feirão surgiram da venda de apartamentos; que estão ganhando espaço em relação às casas.

# Nos 36 estandes do evento, o visitante pode conferir novidades na venda de imóveis e também móveis e decoração de ambientes, incluindo serviços de jardinagem.

# Aproximadamente 80% dos compradores que buscam comprar imóveis de até R$ 170 mil o fazem por meio de financiamento bancário.

# Em contrapartida, a procura pelo financiamento bancário cai para cerca de 20% quando o valor do imóvel é superior a R$ 170 mil. Neste caso, a compra se dá pelo parcelamento direto, via recursos próprios.

# O investidor (comprador que adquire imóvel com fim de lucro e especulação; e não de moradia) começa a voltar para o mercado lentamente.

# A mudança do Plano Diretor de Erechim é aguardada com ansiedade por empresas do setor, como construtoras e imobiliárias. Espera-se que as alterações possam aquecer o mercado.

# No total, o deficit habitacional de Erechim, levantado pela Caixa Econômica Federal, é de 3.500 moradias. Conforme o secretário Barp, 400 delas para pessoas de baixa renda, conforme cadastro da prefeitura.

# De acordo com o presidente do Sinduscon, Cézar Carlotto, Erechim tem uma peculiariedade em relação ao ramo imobiliário: não há extremos. Ou seja, a oferta de imóveis superior aos R$ 500 mil e àqueles inferiores a R$ 70 mil é muito baixa. A maioria das unidades à disposição fica em uma faixa de preço intermediária.

# Em termos nacionais, a Associação Brasileira de Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abedip), informa que depois de três anos de quedas consecutivas, o financiamento imobiliário no Brasil cresceu 48,3% entre março de 2018 e março de 2019 - animando os atores do setor.

Leia também

Publicidade

Blog dos Colunistas