22°C
Erechim,RS
Previsão completa
Euro R$ 4,32 Dólar R$ 3,78
22°C
Erechim,RS
Previsão completa
Euro R$ 4,32 Dólar R$ 3,78

Publicidade

Economia

Venda de material de construção em Erechim cresce entre 6% e 20% em 2018

Média registrada no país no período, apontada pela Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção, ficou em 6,5%. Para 2019, estimativa de crescimento é de 8,5%

Material de construção
Em Erechim, aposta no reaquecimento da economia faz com que projeção de vendas de materiais de const
Por Salus Loch
Foto Divulgação

Apesar do ano instável para a construção civil, algumas das principais empresas que comercializam material de construção em Erechim têm o que comemorar com volumes de vendas 20% superiores a 2017. No geral, porém, o crescimento na comercialização na Capital da Amizade ficou dentro da média nacional de 6,5%,

 conforme revela a Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção (Anamaco).

A entidade aponta que o varejo de material de construção encerrou 2018 com faturamento recorde de R$ 122 milhões em todo o país. O desempenho de vendas no mês de dezembro, aliás, foi melhor do que o esperado pela Anamaco – o que projeta um 2019 com boa performance (janeiro já dá provas disso); cenário que se repete em Erechim.

Enquanto a Anamaco estima crescimento de 8,5% para o território brasileiro, as marcas erechinenses chegam a prever até 20% de ganhos nas vendas no ano que se inicia. Além de melhorias no atendimento (com contratação de profissionais), calendário de promoções e reforço na oferta de produtos ao consumidor, a esperança de que a economia do país deslanche empolga os empreendedores do segmento, especialmente, em razão do anúncio de ações voltadas ao financiamento de imóveis, seja via bancos públicos ou privados, a partir de uma disputa de mercado que se avizinha (mais focada à classe média).

Para a elaboração desta matéria, o jornal Bom Dia ouviu gerentes das lojas Carvalho, Bigolin e Quero Quero.

O que diz a Anamaco

Conforme o presidente da Anamaco, Cláudio Conz, o bom desempenho de 2018 ocorreu principalmente na primeira quinzena de dezembro e se deve ao fato de, tradicionalmente, as pessoas buscarem arrumar a casa para as festas de fim de ano. “Com a melhora da confiança do consumidor, por conta das eleições presidenciais e da retomada do otimismo na economia, o cliente se sentiu à vontade para fazer pequenas obras ou pintar sua casa para receber a família e comemorar o Natal. Também é preciso lembrar que, por conta do período de chuvas, algumas reformas foram para evitar infiltrações ou problemas maiores decorrentes do clima”, declara.

Para 2019, a sinalização do novo governo de prioridade à saúde, segurança pública e educação deve representar a construção de escolas, hospitais, novos presídios, completa Conz.

 

Saiba mais

Com cerca de 148 mil lojas em todo o país (incluindo 136.868 lojas varejistas e mais de 12 mil atacadistas), o setor de material de construção é parte integrante do complexo denominado de ConstruBusiness, que representa 9,1% do PIB brasileiro.

Publicidade

Blog dos Colunistas