Blog do Rodrigo Finardi

Foto 1.jpg

Manuela lutou, mas acabou não resistindo

Por Rodrigo Finardi
Foto Arquivo pessoal

No dia 8 de maio o Jornal Bom Dia trouxe a história da menina Manuela, que ainda estava no ventre de sua mãe, Karine Resende Coelho, com 40 semanas de gravidez. Na 32ª semana, em uma ecografia de rotina, o médico responsável detectou uma anormalidade no coração. Não foram detectadas partes do órgão. Diante do diagnóstico, encaminhou para um profissional médico especialista em Cardiologia Fetal, para aprofundar na investigação e ficou diagnosticado que “Manu” que era chamada pelos pais, tinha Síndrome da Hipoplasia do Ventrículo Esquerdo (parte do coração não se desenvolveu adequadamente).

A transferência

E em Erechim não tinha como garantir o nascimento e a sobrevivência do bebê. A prefeitura e a coordenadoria de Saúde após determinação da Justiça conseguiram transferir a mãe para Porto Alegre, na Santa Casa (centro especializado em cirurgia cardíaca neonatal). Isso era 10 de maio.

Semblante de esperança

Quando a mãe, Karine e o pai Michael Jhonny entraram na UTI móvel na Fundação Hospitalar Santa Terezinha, o semblante dos dois, era de esperança. A primeira filha do casal estava tendo a chance de lutar pela vida.

Em 12 de maio veio ao mundo

Dois dias depois, 12 de maio, Manuela veio ao mundo e nos braços do pai (foto) sorria como dizendo “obrigado”. Sua luta durou exatos 30 dias, e faleceu ontem (12) perto do meio após ter sofrido três paradas cardíacas.

As complicações

Ao longo desses trinta dias de vida, a menina Manuela passou por uma cirurgia cardíaca, para tentar corrigir o problema. Estava na UTI sob cuidados médicos.  Com duas semanas de vida começou a ficar inchada, conforme o relato do pai. Teve um rim paralisado. Passou por sessões de diálise para que o órgão voltasse a funcionar. E ela melhorou. E seu quadro apresentava evolução: “ontem (segunda) ela estava bem”, relata Michael.

Uma lição de vida

Após as três paradas cardíacas, ela mais uma vez lutou bravamente pela vida, mas acabou não resistindo e faleceu. Filha de pais jovens que tem toda uma vida pela frente e precisaram amadurecer rápido pelas dificuldades impostas pela vida. Manu foi uma lição de vida para todos, num curto espaço de tempo.  

 

---------------------------------------------------------------------------------------

 

Em todos os flancos

Roberto Fabiani realmente é o homem forte do prefeito de Erechim, Luiz Francisco Schmidt. Foi secretário da Fazenda (está deixando o cargo para assumir Waldir Tomazoni). Foi secretário de Saúde quando da saída de Dércio Nonemacher até assumir Jackson Arpini. Foi cotado (pelo menos externamente) para assumir a secretaria de Obras. Nos editais da prefeitura de ontem, publicado no Jornal Bom Dia assina como secretário de Administração interino (dois dias em substituição ao titular Valdir Farina que retoma a titularidade hoje). E agora assume a função de chefe do gabinete do prefeito, e será responsável pela comissão de governança para pensar as ações do Executivo. Será que para por aí?  

 

Assume novo secretário da Fazenda

Conforme antecipou a coluna do último sábado (9), assumiu a secretaria da Fazenda de Erechim o ex-coordenador do Serviço Regional do Tribunal de Contas (onde atuou por 26 anos até se aposentar no ano passado). Waldir Luiz Tomazoni.  Com 59 anos de idade, Waldir é natural de Erechim, sendo formado em Engenharia Civil, Ciências Contábeis e atualmente cursa Filosofia na Universidade Federal da Fronteira Sul. Tomazoni não vínculos partidários: “Estou aberto para realizar um trabalho proativo para a administração municipal, buscando, sempre, fazer o melhor possível para o município”, finaliza.  

 

Depois da saia justa, se acertaram!

Esse ano em Erechim, aconteceu um forte debate com relação aos valores do IPTU entre o Executivo e o Legislativo. Logo que os carnês começaram a chegar nas casas, a Câmara de Vereadores se apressou e aprovou um projeto de lei, para que a prefeitura perdoasse o imposto para quem teve mais de 5% de aumento, ainda nesse ano.

Após a análise do jurídico do Executivo, o prefeito optou pelo veto total do projeto. Entre os argumentos, um deles a renúncia de receita. E voltou para a Câmara de Vereadores, que ficou numa tremenda saia justa, pois se derrubassem o veto, algum apontamento futuro poderia recair sobre eles.

Daí sentaram para conversar. Primeiro fizeram um novo projeto de lei, com redução das alíquotas do IPTU para 2019, aprovado por unanimidade e sancionado pelo prefeito Schmidt. E diante disso, na segunda-feira (11) os vereadores aceitaram o veto total da prefeitura.

 

 

2020 chega rápido

Vejo pouco os partidos falarem e se movimentarem sobre as eleições proporcionais de 2020. Parece longe, mas falta dois anos e pouco para definição de candidaturas à Câmara de Vereadores. E essa eleição tem uma peculiaridade.

Pela legislação eleitoral não será mais permitido coligações nas proporcionais e desta forma os partidos só poderão lançar candidaturas próprias. Precisam correr atrás de nomes com viabilidade, caso contrário, muitos deixarão de ter representatividade   

 

 

 

 

 

 

 

 

Leia também

Blog dos Colunistas

Publicidade

Horóscopo

Virgem
23/08 até 22/09
Agradar outrem é digno, mas há de se colocar...

Ver todos os signos

Publicidade