25°C
Erechim,RS
Previsão completa
0°C
Erechim,RS
Previsão completa

Saúde

Para evitá-las, uma dica é realizar a escovação da maneira correta após as refeições

De cárie à periodontite: alerta para doenças transmitidas pelo contato salivar

Por Assessoria de Comunicação
Foto Divulgação

Considerada a segunda doença mais comum no mundo pela Organização Mundial da Saúde (OMS), a cárie está entre os problemas de saúde bucal que podem ser transmitidos pelo contato com a saliva, acompanhada da candidíase oral e periodontite. Apesar de a transmissibilidade dessas doenças não ser amplamente conhecida pelas pessoas, elas são muito comuns e estão relacionadas à baixa imunidade, má higienização e falta de idas ao consultório odontológico.

Conforme explica a cirurgiã-dentista, Aline Graziele Fernandez, as três doenças citadas são causadas por fungos (candidíase) e bactérias (cárie e periodontite), e por isso são transmissíveis. “A transmissão para uma pessoa com baixa imunidade pode acontecer por meio do compartilhamento de copo, talher, beijo na boca e até mesmo se a pessoa com a doença bucal assoprar a comida daquele que está com o sistema imunológico enfraquecido”, comenta.

De acordo com a profissional, a cárie e a candidíase oral costumam afetar mais crianças do que adultos, isso porque o hábito de colocar as mãos sujas na boca, escovação incorreta e o consumo de alimentos cariogênicos, ou seja, comidas e bebidas com grande quantidade de açúcar, gordura e sal, facilitam o surgimento da cárie. No caso da candidíase oral, muitas crianças acabam manifestando sintomas por não terem um sistema de defesa desenvolvido para combater certos organismos.

Nos adultos, o problema que mais se manifesta é a doença periodontal, considerada a principal causa de perda de dentes em pessoas mais velhas. Os idosos, por exemplo, tendem a apresentar periodontite e candidíase, principalmente aqueles que usam próteses totais ou parciais. Segundo Aline, as próteses antigas e sem higiene adequada também acumulam fungos e prejudicam os tecidos moles, como gengiva e língua.

Para evitar o surgimento dessas doenças, a profissional orienta que é necessário realizar a escovação da maneira correta após as refeições, utilizar fio dental e, principalmente, ir ao dentista a cada seis meses para manter a boca livre de fungos e bactérias que causam problemas de saúde bucal. 

Segundo Aline, os casos que ela mais atende no consultório são de doenças periodontais. “A doença que mais cresce é a periodontal, porque existe um problema cultural no qual as pessoas só procuram ir ao dentista quando sentem dor. Devido ao estresse e higiene precária, casos de periodontite são os que eu mais tenho atendido no consultório”, alerta. 

Ainda de acordo com a profissional, é muito importante identificar e tratar essas doenças, principalmente a periodontite, que pode se agravar e provocar a perda dos dentes. A cirurgiã-dentista também destaca que, em pacientes diabéticos e quimioterápicos, o problema com a cicatrização aumenta a tendência da proliferação de fungos e bactérias orais. “A falta de idas ao consultório odontológico aliada a ausência da higiene adequada, levam ao agravamento de qualquer doença bucal previamente instalada ou adquirida durante o período de baixa imunidade. Por isso, as idas ao consultório odontológico são indispensáveis para pessoas de todas as idades”, salienta Aline.