14°C
Erechim,RS
Previsão completa
0°C
Erechim,RS
Previsão completa

Publicidade

Saúde

alergia.jpg

Alergias: saiba mais sobre sintomas, fatores de risco e tratamento

Por Assessoria de imprensa
Foto Divulgação

No Dia Mundial da Alergia, registrado na quinta-feira (8), a médica alergista e imunologista, Daniele Comin da Costa esclareceu as principais causas relacionadas ao seu surgimento. “Existem diversos mecanismos para desenvolvermos alergia. Geralmente as alergias são doenças epigenéticas, causadas pela história familiar (genética), exposição aos alérgenos e estilo de vida”, pontuou.

Os sintomas variam de acordo com a forma de alergia apresentada. “Os sintomas podem ser amplos, quando falamos de rinite os principais são coriza, obstrução nasal, prurido nasal e ocular, espirros. Na asma é comum a tosse, chiado no peito e falta de ar. Há muitas outras manifestações correlacionadas com outras alergias, assim como manifestações cutâneas, manchas, coceira, ressecamento, fissuras, entre outras”, esclareceu a médica. 

A idade também é considerada um dos fatores que influenciam na apresentação de alergias ao longo da vida.  “Existem algumas alergias que são mais frequentes na primeira infância, como alergias alimentares ao leite de vaca e ovo. Outras costumam se apresentar na adolescência ou na fase adulta como rinite, urticárias crônicas. Importante acompanhar o paciente alérgico desde cedo, muitas vezes uma doença alérgica pode apresentar-se com múltiplos sintomas e ir modificando sua apresentação ao longo da vida do paciente”, explicou a médica alergista e imunologista. 

A especialista pontuou ainda, as etapas de avaliação clínica para o tratamento adequado. “Na alergia, o mais importante é uma história clínica seguida de exame físico detalhado. Os testes e exames são bons aliados quando somados a anamnese, isolados podem confundir e prejudicar o diagnóstico”, enfatizou a especialista.

O tratamento varia dependendo do tipo de alergia e de seu agente causador. “Na maioria das vezes o tratamento consiste em profilaxia de crises. É possível ter qualidade de vida, mesmo com diagnóstico de alergia”, finalizou Dra. Daniele.