18°C
Erechim,RS
Previsão completa
0°C
Erechim,RS
Previsão completa

Publicidade

Saúde

saúde ocular.jpg

Oito perguntas e respostas sobre o pós-operatório do estrabismo

Por Assessoria de imprensa
Foto Divulgação

O estrabismo é uma condição que ocorre quando há desalinhamento dos eixos visuais. Na maioria dos casos, o estrabismo se desenvolve na infância e seu principal tratamento é a cirurgia para correção do desvio. Alguns tipos de estrabismo, como o congênito, por exemplo, exigem acompanhamento desde o nascimento, sendo que a cirurgia pode ocorrer ainda no primeiro ano de vida.

A cirurgia de correção do estrabismo em bebês ou em crianças muito pequenas costuma gerar muitas dúvidas nos pais. Em alguns casos, a cirurgia acaba sendo adiada pelo medo dos genitores em relação ao procedimento. Mas, esse adiamento pode ter um impacto importante no desenvolvimento visual da criança.

Segundo a oftalmopediatra, Marcela Barreira, especialista em estrabismo, muitos pais chegam ao consultório com dúvidas e receios. “Os pais perguntam se dói, incomoda, se há riscos envolvidos, entre outras questões. Isso é normal, já que a criança pequena pode realmente não entender o que está acontecendo ou vai acontecer. O ideal é tirar todas as dúvidas antes da cirurgia para tranquilizar a família. Pais confiantes irão passar segurança para a criança, o que é essencial no processo de recuperação”, reforça Dra. Marcela.

Por isso, com a colaboração da especialista, seguem as principais dúvidas sobre a cirurgia de correção do estrabismo. Confira:

1- A criança vai sentir dor?

O pós-operatório do estrabismo não costuma causar dor intensa. A dor costuma ser leve e aparece nos primeiros dois dias. Na maioria dos casos, sem necessidade de medicação analgésica. De modo geral, a criança não costuma se queixar de dor intensa. Pode ocorrer um desconforto ou uma dor leve ao movimentar os olhos, pois isso “força” o músculo operado.

 

2- São dados pontos no local da cirurgia?

A cirurgia de correção de estrabismo é feita com pontos (sutura) nos músculos oculares e na conjuntiva. Em alguns casos, não são necessários os pontos na conjuntiva devido ao tipo de incisão aplicada. Os pontos podem causar a sensação de areia nos olhos. Esse desconforto dura de 5 a 10 dias. Depois disso, os pontos soltam e são absorvidos. Portanto, não é necessário fazer nenhum procedimento para retirar esses pontos.

 

3- A criança vai precisar tomar antibiótico oral?

O uso de antibiótico é importante no pós-operatório para evitar infecção e é aplicado na forma de colírios. Não é necessário uso de medicação via oral.

 

4- A criança vai usar tampão depois da cirurgia?

Não! É muito importante que os olhos fiquem sem nenhum tipo de curativo após a cirurgia.

 

5- A criança pode praticar atividade física?

A visão pode ficar um pouco embaçada nos primeiros dois dias, bem como pode ocorrer um certo desconforto. O ideal é esperar de 2 a 3 dias para retomar os esportes. Entretanto, a prática de esportes aquáticos fica suspensa por 30 dias ou até a liberação do médico.

 

6- A criança vai precisar faltar na escola?

Não é necessário um grande período de afastamento. Novamente, após a melhora do desconforto inicial, o paciente está apto a voltar para suas atividades cotidianas. Em geral, o afastamento não precisa ser maior que 5 a 7 dias.

 

7 – A criança pode lavar a cabeça?

Pode. Não há contraindicação em tomar banho e lavar a cabeça no pós-operatório imediato.

 

8- Devo passar alguma pomada ou fazer compressas no olho operado?

Os pais não devem usar nenhum tipo de pomada ou fazer qualquer tipo de curativo ou procedimento no olho operado. É preciso seguir à risca a orientação do médico que realizou a cirurgia. Em geral, será preciso apenas administrar os colírios prescritos pelo médico.