13°C
Erechim,RS
Previsão completa
Euro R$ 4,21 Dólar R$ 3,75
0°C
Erechim,RS
Previsão completa
Euro R$ 4,21 Dólar R$ 3,75

Publicidade

Saúde

Geralmente as queixas mais comuns dos pacientes diz respeito ao desgaste – artrose

Problemas do quadril: médico orienta sobre importância do diagnóstico precoce

Por Izabel Seehaber jornalismo@jornalbomdia.com.br
Foto Izabel Seehaber

A Clínica de Fraturas de Erechim conta com um especialista em quadril. Felipe Miozzo Denti nasceu e cresceu em Erechim, cursou medicina em Passo Fundo e depois buscou especialização na área de Ortopedia, em Porto Alegre.

Atualmente, trabalha também em um consultório em Concórdia.

O Bom Dia conversou com o médico para saber quais os problemas mais comuns na região do quadril. Confira a seguir o bate-papo:

Bom Dia - Quais são as principais queixas dos consultórios:

Felipe - “Geralmente as queixas mais comuns dos pacientes dizem respeito ao desgaste – artrose – no quadril e dores na mesma região, mas que não tem origem óssea, tais como bursites, tendinites, entre outros.

Bom Dia – A idade e a interferência no diagnóstico...

Felipe – “A artrose geralmente acomete pacientes com mais idade. No entanto, atualmente as pessoas estão menos tolerante às dores e costumam procurar um especialista para investigar os possíveis problemas. Já os outros, anteriormente citados, podem ser diagnosticados em pacientes de todas as idades, principalmente em mulheres.

A bursite é uma inflamação na região do quadril e não tem uma causa específica. Muitas vezes está relacionada à falta de exercícios físicos.

Há pacientes que enfrentam, ainda, um problema denominado Impacto femoroacetabular, uma doença que acomete os jovens, de causa óssea, e geralmente não precisa de cirurgia, sendo mais comum em homens”.

Bom Dia – Opções de tratamento:

Felipe – “Com o avanço da medicina é possível fazer uma prótese, por exemplo, em pacientes mais jovens – com 40 anos – e com casos de extrema dor, com uma durabilidade maior que antigamente. As patologias ortopédicas oferecem possibilidades de tratamentos. O que nem sempre é compreensível é que muitas doenças podem ter os sintomas amenizados e nem sempre curados de forma completa. Nosso objetivo é oferecer mais qualidade de vida aos pacientes.

Isso inclui, além do acompanhamento médico, o cuidado e a determinação dos próprios pacientes. É preciso observar os hábitos, tais como os exercícios físicos que costuma praticar, por exemplo”.

Dicas do especialista:

“No caso do desgaste, se o paciente é jovem e está sentindo dor, é importante fazer uma consulta e posteriormente um raio X para avaliar se o formato do osso possui alguma alteração ou o Impacto femoroacetabular, o qual poderá gerar no futuro um desgaste. Por isso é fundamental acompanhar cedo e evitar o surgimento de uma artrose. Quanto aos problemas não-ósseos, os exercícios são imprescindíveis, além do reforço muscular. As medicações atuais preservam a cartilagem e as articulações, contudo, elas, por si só, não são o único tratamento. Os pacientes precisam aderir às mudanças de estilo de vida”, orienta.

 

 

 

 

Leia também