18°C
Erechim,RS
Previsão completa
0°C
Erechim,RS
Previsão completa

Publicidade

Ensino

Por risco de aglomeração, candidatos são impedidos de realizar o Enem

Em Erechim, situação ocorreu no Colégio Estadual Haidée Tedesco Reali e no Colégio Estadual Professor Mantovani

teste
Em Erechim, a situação ocorreu no Colégio Estadual Haidée Tedesco Reali, após as salas de aplicação
João Vitor Zanandrea Batistella
Por Amanda Mendes
Foto Divulgação

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), edição 2020, registrou mais de 51% de abstenção, conforme o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Ainda, alguns candidatos terão que solicitar a reaplicação porque foram impedidos de realizar a prova, em função do volume de pessoas por sala e para prevenir contaminações ao coronavírus.

A aplicação começou no domingo (17) e os estudantes tiveram 5h30 para produzir uma redação, com tema sobre estigma da doença mental e responder a questões de múltipla escolha em Linguagens, Códigos e suas Tecnologias e Ciências Humana. No próximo domingo (24), os candidatos resolvem provas de Ciências da Natureza e suas Tecnologias e Matemática.

Reaplicação em Erechim

Em Erechim, candidatos com locais de provas no Colégio Estadual Haidée Tedesco Reali e no Colégio Estadual Professor Mantovani, foram impedidos de prestar o Exame no último domingo.

De acordo com o diretor do Colégio Haidée, Darlan da Rocha, essa foi uma determinação judicial. "No sábado (16) fomos informados que quando as salas de aplicação chegassem à capacidade máxima, que é de 50% conforme a metragem do espaço, os estudantes seriam orientados a fazer o Enem em outro momento", contou à reportagem do Jornal Bom Dia.

A mudança foi uma orientação do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), após a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) alertar sobre os riscos de aglomerações, ainda na sexta-feira (14).

No Colégio Haidée o alerta também ocorreu antes. Darlan contou que a instituição já havia informado ao Inep que a ocupação das salas estava superior à capacidade. "Tivemos que fazer uma readequação total, pois nós só cedemos o espaço e, com isso, no dia da aplicação, após as salas chegarem ao limite de ocupação, os candidatos foram informados que irão realizar o Exame em outra oportunidade. Ninguém ficará sem participar do Enem, só terá que ser em outra data, os estudantes foram compreensíveis, até porque não podíamos deixá-los em risco de contaminações ao coronavírus".

“No sábado o Inep reduziu a quantidade de candidatos por sala”

A situação ocorreu com o estudante, João Vitor Zanandrea Batistella, de 19 anos. Com sonho de cursar Psicologia, o candidato participou do Enem em 2018 e 2019 como treineiro, nos primeiros anos do ensino médio. Nesta edição, ele está inscrito regularmente e se preparou para conquistar o ingresso no ensino superior. Contudo, ao chegar no local da prova, no Colégio Mantovani, foi informado que não poderia realizar neste momento, por superlotação da sala.

“Quando cheguei ao Colégio, fui informado que a sala já estava cheia e, com isso, eu e mais uns 15 candidatos que estavam na mesma situação, seríamos encaminhados a outro espaço para realizar a prova. Fizemos uma fila no corredor e a coordenadora de aplicação explicou que no sábado o Inep informou que as salas deveriam ter um número reduzido de candidatos, para respeitar o distanciamento social. Nesse cenário, que a sala não comportava todos os inscritos e sem salas suficientes, fomos orientados a se retirar do local e entrar em contato com o Inep para registrar nossa presença”, contou João à reportagem.

As instituições que participam do Exame apenas cedem o espaço, a organização é do Inep. “A coordenadora que conversou conosco reforçou que não poderia fazer nada, pois não cabe a eles e só estavam obedecendo ordens”, destaca João.

Além disso, o estudante ainda não conseguiu entrar em contato com o Inep. “Ontem liguei no telefone que nos foi passado, mas não obtive sucesso. No dia da aplicação não recebemos nenhum documento, eles só registraram na lista nossa presença. No meu local de prova pude perceber que isso ocorreu com mais ou menos 30 candidatos, fico pensando em nível nacional quantas pessoas não puderam realizar a prova”, concluiu.

A reportagem entrou em contato com o Inep, mas até o fim desta edição não obteve retorno.

Nota da Seduc

Por meio de nota à imprensa, a Secretaria Estadual da Educação do Rio Grande do Sul (Seduc), informou que cumpriu todas as determinações do Ministério da Educação (MEC) e disponibilizou os locais necessários para a realização das provas. “Entretanto, a Seduc reitera que todo processo de organização dos espaços, elaboração das equipes de atendimento e logística dos materiais utilizados é de responsabilidade do Inep e da empresa ganhadora da licitação (Cesgranrio)”.

Leia também

Publicidade

Blog dos Colunistas