0°C
Erechim,RS
Previsão completa

Publicidade

Região

Machadinho: “Turismo mudou drasticamente o município”

Machadinho é um fenômeno nesse setor que recebe quase 80 mil turistas por ano, tendo uma população de seis mil habitantes. O resultado disso são R$ 20 milhões injetados na economia local

Monumento Frei Teófilo e Igreja Matriz
Museu Alma Campeira
Pesque e Pague Tranquilitate
Cascata do Tigre
Cachaçaria Acanhadinha
Cachoeira da Invernada dos Macacos
Por Ígor Dalla Rosa Müller
Foto TV Bom Dia e Prefeitura de Machadinho

A região do Alto Uruguai tem uma riquíssima história, cultura e muitas belezas naturais, que aos poucos está sendo “descoberto” e utilizado para fomentar a atividade turística. O município de Machadinho é um exemplo disso, um fenômeno nesse setor que recebe quase 80 mil turistas por ano, tendo uma população de seis mil habitantes. O resultado disso são R$ 20 milhões injetados na economia local, anualmente, o que já supera o orçamento municipal que gira em torno de R$ 18 milhões ao ano. O segredo dessa “revolução cultural” é a integração entre poder público, associação e comunidade.   

Atrações

Machadinho já tem uma rota turística consagrada no Alto Uruguai, segundo a vice-presidente da Festchêmate, Mirian Wittmann, o turista vai encontrar além do balneário de águas termais, um hotel resort com spa e muitas outras atrações.

Cascata do Tigre

Mirian comenta que a seis quilômetros da cidade tem a Cascata do Tigre com quase 100 metros de queda, com área de camping e lazer.  

Cachaçaria Acanhadinha

Outro ponto turístico é o café colonial da Cachaçaria Acanhadinha, que fica aproximadamente cinco quilômetros do centro da cidade. “Local em que os turistas, mediante agendamento, podem confraternizar, degustar o café colonial e provar cachaças e licores produzidos em Machadinho”, afirma.

Museu Alma Campeira

Segundo Mirian, Machadinho tem dois museus, um deles é o Museu Alma Campeira localizado no centro da cidade e que conta a história do município e a sua relação com Gumercindo Saraiva, um dos primeiros desbravadores do município.

Mirante Museu Torres

Conforme Mirian, o turista também vai encontrar o Mirante Museu Torres junto a Igreja Matriz, que conta a história do Frei Teófilo. “Grande personagem que construiu o município. Ali, também, o turista vai ter acesso a uma vista panorâmica da cidade. Na praça da Matriz tem a estátua do Frei Teófilo, outro ponto turístico, que conta também a sua história”, afirma.

Pesque e Pague Tranquilitate

O Pesque e Pague localizado no centro de Machadinho tem área de camping, lazer, churrasqueira e pesca esportiva, um espaço tematizado com uma serpente gigante no meio do lago.

Chácara Brilho do Sol

Localizada na saída para Linha Barro Amarelo, há poucos metros do centro da cidade, a Chácara Brilho do Sol é um belo local para visitar e degustar deliciosas frutas, legumes, verduras e caminhar em meio as estufas onde os produtos são plantados.

Invernada dos Macacos

De acordo com Mirian, a Invernada dos Macacos foi declarada como ponto turístico esse ano. No local, o turista vai encontrar duas cascatas, uma com 60 metros e outra com 20 metros de queda. Vai poder realizar práticas esportivas como tirolesa, rapel e trilhas. “Encontrando um turismo ecológico diferente, a opção de café e almoço”, diz.

Erva-mate

Ela explica que Machadinho é um dos poucos municípios no Brasil que completa toda a cadeia produtiva da erva-mate, produzindo desde a semente até a exportação do produto embalado. Além disso, se destaca por produzir a variedade Cambona 4, “só encontrada ali”.

Potencialidades

Mirian comenta que o ponto de partida da atividade turística foi o balneário de águas termais. No entanto, a união entre poder público e comunidade foi fundamental para o setor se desenvolver em Machadinho. “A comunidade, como um todo, se organizou por meio da Associação de Desenvolvimento Turístico de Machadinho (ADTM), juntamente com o poder público, que foi o grande financiador dos projetos”, explica.

Ela acrescenta que o poder público e a comunidade se uniram e viram a necessidade de criar outros pontos turísticos e explorar outras potencialidades, além do balneário, como por exemplo as belezas naturais e a cultura local. “Teríamos que ter mais atrações para oferecer aos turistas”, afirma.

Ela cita o exemplo da criação do Museu Alma Campeira, em que o proprietário já era tradicionalista e tinha vários objetos históricos em casa. Por meio de uma lei de incentivo, o município auxiliou o colecionador a transformar o acervo que tinha em museu. “Assim ocorreu também com o projeto Torres na igreja, tínhamos toda a história do Frei Teófilo e, a partir disso, a ADTM, juntamente com o município e igreja matriz resolveram contar a história do Frei pelo museu”, observa.

Novos projetos

Uma das novidades e que já está licitada e com ordem de serviço para início são as obras da rua coberta. “Isso vai ser um diferencial, com uma arquitetura totalmente inovadora, um espaço para o desenvolvimento cultural, shows e apresentações. Esse é o próximo ponto turístico”, afirma.

Tripé  

Mirian ressalta que a união do tripé, poder público, associação e comunidade é o estrutura e possibilita a realização de todos os projetos.

Transformação

“A cidade mudou em função do turismo e se desenvolveu drasticamente, Machadinho ainda não vive 100% do turismo, mas 80% da nossa renda se dá em função do turista”, diz.

Segundo ela, o turista ao chegar no município tem todas as atrações disponíveis, e ele pode entrar em contato com a ADTM e a prefeitura para obter mais informações.

“Quem não conhece está convidado a conhecer, é uma cidade aconchegante, povo muito hospitaleiro, e recebemos muito bem nossos turistas. Aqui vai encontrar um balneário de águas termais moderno, com arquitetura diferenciada, paisagismo muito bonito, hotel resort, que possui spa e quadras de esporte, além de todo turismo rural e a parte histórica. Quem vier a Machadinho vai encontrar vastas opções”, afirma.

Leia também

Publicidade

Publicidade

Blog dos Colunistas