23°C
Erechim,RS
Previsão completa
Euro R$ 4,54 Dólar R$ 4,10
0°C
Erechim,RS
Previsão completa
Euro R$ 4,54 Dólar R$ 4,10

Blog do Coluna do Leitor

Luciano Menegati e Affonso Krüger 18 nov 1978.jpg

O ecletismo musical de Luciano Menegati

Por Coluna do Leitor

Prof. Ms. Gleison Juliano Wojciekowski - Pianista, Regente e Arranjador - (54)98405-2866

Luciano Menegati nascido em 18 de junho de 1965, tendo como irmão gêmeo Marcelo e uma irmã mais jovem Daniela, filhos do músico, memorialista e advogado Altair José Menegati e Maria Clara Menegati.

Desde sua infância teve contato com a música através de sua família, com seu pai que tinha estudado piano na década de 1950 com a mãe de Oswaldo Engel (Berta Kreische Engel) e apreciava tangos, milongas e música em geral, seu avô paterno Batista Menegati, que tocava gaita ponto e seu bisavô materno João Carlos Noschang que tocava clarinete.

Iniciou seus estudos na Escola Municipal de Belas Artes Osvaldo Engel com a professora de piano Lory Schnneider do Amaral Santos em 24 de agosto de 1972, e se formou em 14 de dezembro de 1984. Formou-se também em Teoria e Solfejo, História de Música e Harmonia. Paralelamente a isso estudou flauta-doce com a professora Mársico e violão com a professora Gessy Tubim.

Iniciou seus estudos de acordeom em 1976 com seu pai, e na adolescência através de revistinhas de violão, de uma forma autodidata começou a tocar música popular e entender as funções harmônicasdos acordes, e consequentemente tirar músicas de ouvido.

No final da década de 1970 começa a se interessar pela música gaúcha e nativista com a vinculação de artistas do gênero como Renato Borghetti, Os Serranos além da Califórnia da Canção Nativa que existia desde 1971.

Em 1978 iniciou seus estudos de violino como maestro Affonso Krüger, então maestro da Orquestra de Concertos de Erechim, orquestra que Luciano passou a integrar, inclusive tocando na inauguração do novo prédio do Centro Cultural 25 de Julho, e posteriormente também da SCAJHO (Sociedade Cultura Artística de Joaçaba e Herval do Oeste). Terminou os estudos de violino com o professor Paulo Kameneff. Tocou também pífaro e clarim na Banda Marcial da Escola Professor Mantovani.

 Em 1983 quando iniciou a faculdade de direito em Passo Fundo, teve como colega de ônibus o tecladista do Ipanema, Rogério Kurek (que havia sido apresentado pela professora Lory), e através dele teve contato com outros músicos do circuito de bailes como o trompetista Prego, o baterista Murruga, o guitarrista Jimmy e o baixista Jair. Foi através de Rogério Kurek que começou a tocar em cerimônias de casamento, inicialmente com os harmônios (teclados com fole acionados por pedal) que as igrejas dispunham.

Nesse período também passa a integrar o Grupo Nativo Farroupilha tocando violino e violão, e posteriormente na invernada artística do CTG Calpão Campeiro (através de convite de Claudino Menegati) onde juntamente com o gaiteiro Marcondes tocou acordeom.

Em meados de 1983, Marco Anéris fez o convite a Luciano para formarem um grupo, que foi chamado de Roda Canto, do qual também fazia parte China (Gérson Luiz Menezes de Puente),além de Marco e Luciano, posteriormente fariam parte do grupo Gerson Dal Prá, Jorge Garcia, Neiva Piazzon e Eliazar Lisowski. Com este grupo venceu o Festival da Música Universitária em Passo Fundo em 1985, com a música ‘’Bombacha, Tempo e Mensagem’’, composição de Luciano e João Albino de Medeiros Farias. Participam neste mesmo ano da Mostra Nativa de Nativismo – 150 anos da Revolução Farroupilha, onde a composição de Luciano B. Menegati, ‘’Semente de Vida e Paz’’, que vence o festival na etapa de Erechim e fazem parte da gravação do LP de mesmo nome do festival.

Foi através da música que Luciano se aproximou de sua esposa Neiva Piazzon, que viria a ser sua parceira musical, cantando em alguns dos grupos dos quais foi integrante.

A partir de 1984 passou a fazer parte da Bandinha do Caneco(ou Apocalipse para os bailes sociais) tocando teclado (órgão Minami, pianola Giannini e Korg Poly 800) em bailes juntamente com o saxofonista Bruno Moron, o baterista Sérgio Moron, o guitarrista Jaime Simoni, o baixista Neinho (Algenir Flôres), o trompetista Joãozinho e o saxofonista Chiodi.

Participou em 1987 da banda de Jazz-Rock denominada Appis Mellifera, com Sérgio Intkar, Marco Anéris e Júlio Menezes e em seguida tocou como free-lancer em diversos grupos musicais de baile e shows em 1988/1989. Em seguida foi convidado para fazer parte da Banda San Francisco, grupo de 12 integrantes, que contava com Claudir Parmeggiani juntamente com Luciano nos teclados, Jorge Garcia no baixo, Sílvio Chiaparini na guitarra, Darci Demarco no trompete, Ademir José Savegnago no saxofone, Euclides Savegnago no trompete, Joãozinho no trombone, Neiva Piazzon nos vocais, Juarez Motta na bateria e Carlinhos nos vocais. Este grupo seria o embrião da Banda Europa Show (posteriormente Europa), que teve uma mudança de gênero musical, recebendo forte influência do rock; e formação com Jair no baixo, a vocalista Jô, Zé Nilson na bateria e vocais, Luciano nos teclados e uma grande mudança de guitarristas.

Luciano Menegati fez parte também do grupo Crazy Boys tocando teclados ao lado de Sérgio Intkar na guitarra, Naudi Dalpizzolo na bateria e vocais e Pedro Cunha no baixo.

Após sair da Banda Europa, montou junto com Marco Anéris, uma escola de música e uma banda chamada Soweto que tocava em diversos bares e festas particulares da região. Participou ainda de alguns shows como tecladista da banda da dupla Oswaldir e Carlos Magrão. Atualmente trabalha como empresário, advogado e corretor de imóveis, porém, está afastado profissionalmente da música desde 1995.

Publicidade

Blog dos Colunistas

Publicidade

Horóscopo

Touro
21/04 até 20/05
O que puder fazer sem pedir ajuda a ninguém,...

Ver todos os signos

Publicidade