14°C
Erechim,RS
Previsão completa
0°C
Erechim,RS
Previsão completa

Publicidade

Saúde

verrugas.jpg

Verrugas: conheça mais sobre cinco mitos e verdades

Por Assessoria de imprensa
Foto Divulgação

É provável que todas as pessoas conheçam alguém que já teve que realizar tratamento contra as verrugas, lesões benignas na pele, causadas pela contaminação do papiloma vírus humano (HPV). A infecção resulta no crescimento anormal da camada mais superficial e final da pele (a epiderme).

Apesar de bastante comuns, as dúvidas sobre as verrugas ainda são muitas. Por isso, o médico dermatologista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), Dr. Antonio Gomes Neto, esclarece cinco mitos e verdades sobre essas lesões. Confira a seguir:

Verrugas só aparecem em adultos

Mentira. Estima-se que as verrugas atinjam, principalmente, crianças e adolescentes. Em média, 33% das pessoas desta faixa etária terão o problema. Já na fase adulta, 5% serão infectados.

O vírus HPV, causador das verrugas, só é transmitido sexualmente

Mentira. O papiloma vírus humano é mais conhecido por ser uma doença sexualmente transmissível, entretanto, ele também pode ser transmitido de mãe para feto, através da saliva, de autoinfecção ou por meio de objetos contaminados. É, por esse motivo, que muitas crianças também apresentam as lesões na pele causadas pelo HPV.

As verrugas não são perigosas

Verdade. A principal dúvida em relação às verrugas é se elas são perigosas. Apesar de estarem relacionadas ao vírus HPV, na maioria dos casos, não há grandes riscos para a saúde, com exceção das lesões na região genital, que estão relacionadas ao câncer de colo do útero e do pênis. Nestes casos, orienta-se a procura imediata do médico para início do tratamento adequado.

Existe apenas um tipo de verruga

Mentira. Existem diversos tipos de verrugas e, normalmente, a aparência da lesão muda de acordo com a parte do corpo. As cinco principais variáveis de verrugas são:

●       Vulgares: é o tipo mais comum. As lesões são irregulares, endurecidas e ásperas e podem ser isoladas ou agrupadas. Costumam se desenvolver em áreas com mais atrito como cotovelos, joelhos, mãos e ao redor das unhas (periungueais).

●       Planas: têm a aparência e pequenas pápulas (bolinhas) e apresentam cor amareladas ou acastanhadas, normalmente, formadas por várias verrugas de até cinco milímetros, além de ter superfície plana e lisa. Aparecem mais comumente no rosto e dorso das mãos de adolescentes.

●       Plantares: aparecem na planta dos pés e costumam ser confundidas com calos. O peso do corpo faz com que elas cresçam para dentro, causando dor ao caminhar. As verrugas plantares apresentam um anel periférico com pontos escuros no centro da lesão e, por essa aparência, são popularmente chamadas de “olho-de-peixe”.

●       Filiformes: caracteriza-se por uma projeção mais fina e alongadas. São mais comuns no rosto, pescoço, lábios e pálpebras. A incidência é maior em pessoas mais velhas.

●       Anogenitais: São lesões úmidas e vegetantes, em grupo ou isoladas, com aspecto de couve-flor. Costumam acometer regiões mais sensíveis como a mucosa genital feminina e masculina, a uretra, a vacina, o colo do útero, a região perianal ou a mucosa oral. Estão relacionadas com infecções genitais e há uma conexão com alguns subtipos de HPV de alto risco, aumentando as chances de câncer genital, como o do colo do útero.

O tratamento é simples

Verdade. Na maioria dos casos, o tratamento para extração das lesões é simples e pode ser realizada pelo próprio paciente, em casa. O diagnóstico é clínico e o médico pode indicar a utilização de medicamentos tópicos, que, em geral, contêm ácidos salicílico e lático em sua composição. Nos casos mais graves, pode ser necessária a remoção cirúrgica das lesões. Sempre consulte um dermatologista para mais informações.